terça-feira, 27 de agosto de 2013

Mãe vs. Mamã


"Com três letrinhas apenas se escreve a palavra..." O tanas. Com QUATRO letrinhas apenas se escreve a palavra Mamã! Mamã é que é!
Mamã é a palavra mais carinhosa, fofinha, cutxi-cutxi de que há memória.
É a primeira palavra (pelo menos deveria ser, deveria haver um decreto qualquer que lhe desse força de lei) que os bebés aprendem, a que mais bem pronunciam e a que mais adoro.

Com o meu filho mais velho tive a sorte de a ouvir até aos 3 anos dele, altura em que foi para a escola e a raça da educadora estragou tudo. Já não há cá mamãs, só mães, que já somos uns meninos crescidos! Aliás, tive de começar a habituar-me a ser tratada por mãe não só pelo meu filho, o que de si já me soava suficientemente estranho, mas também por um regimento de adultos de que eu não tinha qualquer memória ter parido. Oh mãe isto, oh mãe aquilo, e eu só pensava, onde é que eu vim enfiar o miúdo que isto é sítio de gente doida.

Com o "máinovo" a coisa foi diferente: já tendo eu a experiência do outro, pensei, agora ninguém me engana, vamos a ver quem é que manda no miúdo. Vai daí, mal este foi para a escola, nem 2 anos ainda tinha, estive à coca da tão temida palavra. E sim, na nova escola entretanto perfilhei mais uma chusma de adultos, tudo a chamar-me mãe, que se juntaram aos colegas do "máivelho", para os quais eu não tenho um nome, sou a "ÓMÃEDOTIAGO".

E foi assim que, ao primeiro "Mãeeeeee" do pequenito eu contrapus um "Mamã, filho, sou a Mamã" , o que ele repetiu alegremente. Ufa, isto assim até vai correr bem. Mas ao fim da 647ª repetição, a coisa já cansa. Mudei de estratégia, então. O miúdo chama "Mãeeeeee" e eu finjo que não oiço. Só quando ele diz "o nome certo" - ou fica roxo e entra em apneia de tanto berrar - é que eu cedo.
Exemplo:
"Estás todo borrado? Qual é a senha? Hã? MÃE?!?!
FOOOOOOOOOON!!!!!!!! *
Resposta errada!!!!
Aguenta aí mais duas horas com isso colado!"

(Tenho na forja desatar a chorar histericamente quando ele me chamar Mãe, ainda estou a estudar a melhor forma de aplicar esta ideia...)

É que há-de aprender! Ou não me chame eu MãeBoneca. Quer dizer, Mamã, Mamã!!

Temos tempo para as formalidades, caramba. Há-de vir (acho que está para breve) a fase da parvoíce, em que têm vergonha de nos dar um beijo em frente aos amigos. Está já a decorrer em força a fase da suprema vergonha, ou seja, andar de mãos dadas com a mãe em público. Para esta também desenvolvi uma estratégia: "Ou me dás a mão ou prego-te tanto beijo que até te saltam os olhos em frente a esta gente toda!"

Pelo menos por enquanto ainda há-de ser como eu quero. Como a Mamã quer!



* Buzina típica dos concursos, que se ouve quando alguém dá uma resposta errada. Presumo que já lá tivessem chegado, tamanha a qualidade das minhas onomatopeias.


Sem comentários:

Enviar um comentário