segunda-feira, 14 de outubro de 2013

A minha mãe é melhor que a tua

A minha é-o efectivamente. Melhor do que todas as outras existentes, na margem sul em particular e no resto das margens em geral. 

Melhor que a tua, a tua e também a tua. E a sua, cara senhora, não esteja a pensar que se safa.

E não é só por ser minha. É por ser também a mãe do meu irmão. E um bocadinho do meu marido. E um bom bocado do meu pai. E muitíssimo dos meus filhos, que viu nascer e recebeu debaixo da asa quase ao mesmo tempo do que eu. E continua dar-lhes ninho todos os dias.

A minha mãe é universal, é imensa, cheia de particularidades, maternais lá está, que fazem com que eu, por muito que me esforce, nunca vá chegar-lhe sequer aos calcanhares na minha mãezice. Enumerá-las é impossível, as melhores são pouco tangíveis, descrevê-las seria, a meu ver, banalizá-las. Limito-me assim a senti-las. E a agradecer a sorte que tenho, porque não devo ser má de todo, senão não me tinha sido atribuído este belíssimo exemplar de progenitora.

Assim, resta-me rezar a todos os santinhos que ela seja daquelas senhoras que vive até aos 120 anos, mouca e desdentada e chata, pode ser, não me importo, porque no dia que ela se me for vou precisar de todo o auxílio do mundo para não me jogar da ponte.

4 comentários:

  1. sinto exactamente o mesmo que tu. No dia que for.. eu n sei como hei-de ficar...

    ResponderEliminar
  2. Confissão: Cada vez que preciso de um sorriso... visito A Casinha da Boneca. Muito obrigado por estar(es) sempre aí! :)

    [E sim... quando a minha mãezinha se fôr... ou a minha avózinha (mãezinha ao quadrado) é que vão ser elas...]

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Confissão: esse teu(seu) comentário aqueceu-me uma manhã que começou algo atribulada. Agora o dia já vai correr melhor. Obrigada pela simpatia e um beijinho!

      Eliminar
    2. :) Beijinhos

      Eliminar