quarta-feira, 16 de outubro de 2013

SAI DA FRENTE POMBO!!

Boneca Maria de Deus ao volante do seu bólide, numa velocidade dentro dos limites para a cidade de Lisboa, avista pombo a 50 metros e pensa "Não vale a pena tirar o pé do acelerador, o bicho vai levantar vôo a tempo". Boneca aproxima-se do bicho e ele continua na sua vida, entretido com as suas pombices e nem mostra vontade de sair de onde está, que é precisamente no meio da estrada. "O bicho não é estúpido, não vai ficar ali especado, não vale a pena abrandar, ele vai sair dali, por alguma razão tem asas!"

De facto, o cabr&o do bicho saiu da frente, mas precisamente na altura em que eu o estava quase a passar a ferro, e espetou-se contra a grelha do meu carro, que saiu disparada. Boneca Maria olha pelo espelho retrovisor e, versada que é na lides mecânicas, vê o defunto a ir para um lado e a grelha para o outro e pensa "C'um catano, semelhante traulitada dei no pombo que o gajo se partiu em dois!!!" O carro de trás, vendo esta cena, e com certeza com o intuito de me avisar que um bocado do meu carro estava agora escaqueirado na estrada, faz-me sinal de luzes. "EPÁ JÁ SEI, ESFRANGALHEI (espombalhei, na verdade...) O BICHO, O QUE É QUE QUER QUE EU FAÇA AGORA?! QUE O VÁ COLAR??! RAISPARTA ESTE GAJO DEVE SER DAQUELES MALUQUINHOS DA PROTECÇÃO DOS ANIMAIS, HOMEM NÃO VÊ QUE O RAÇA DO POMBO É QUE VEIO CONTRA MIM?!" pensei eu, sempre muito lúcida e esclarecida sobre a situação.

Já no trabalho contei a peripécia do encontro imediato de terceiro grau com o bicho, que o tinha assassinado com tal fúria que ele se tinha desintegrado em dois, e que eu era uma pessoa mázinha e feia e no dia do Juízo Final ia levar tau-tau do Criador.

Só em casa ao contar o milagre da multiplicação columbófila ao senhor meu marido é que ele torceu o nariz e foi averiguar. Pois sucede que o perfil do bicho do demo estava marcado, a gosma, na pintura, no sítio onde em tempos esteve a grelha morava agora um buraco e via-se a lâmpada das luzes de nevoeiro ou lá como se chama aquela coisa.
- Mulher, tu não te apercebeste da porrada na grelha, não a ouviste a partir-se?!
- Eeeerrr, pensava que era o som dos ossos do pombinho...
- E não viste a grelha a voar?
- Os pombos eu sei que voam, já as grelhas... (cada vez mais envergonhada com a minha imbecilidade)

Lanço assim um apelo:
Senhores fofinhos dos serviços municipalizados que fazem a limpeza das ruas da capital, deixai pelo menos por um dia as grelhas e outras peças de automóvel assim por exemplo encostadinhas a um canto da rua. É que os donos podem voltar para as recuperar. E ficar tristinhos por não as encontrar. Mas dar de caras com uma asa no chão... Deveras traumatizante, devo dizer.

6 comentários:

  1. Olha minha santa: no outro dia, na rua onde os meus avós tinham casa, passei um pombo a ferro (até hoje é o segundo que assassino), e a imagem do retrovisor que vi, foi digna de um desenho animado: uma nuvem de penas a esvoaçar! (confesso que me ri...)
    Mas não parti a grelha do carro e sei distinguir a diferença entre o barulho dum pombo a estilhaçar-se e de uma grelha! :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu nunca tinha ouvido ossos de pombo a partirem-se... nem uma grelha... não podia adivinhar!

      Eliminar
    2. duh.. ouves a esmigalharem.se! e pelo tamanho de um e de outro n achas que havia uma diferença???

      Eliminar
    3. Era um pombo bueda grande!!!

      Eliminar
    4. E tinha cara de grelha!!!

      Eliminar