quarta-feira, 6 de novembro de 2013

O banho turco dos infernos

Corria o ano de 2002, quando fui a trabalho a Istambul. Como tivemos tempo para dar umas voltinhas pela cidade fora das horas de expediente, eu e as minhas colegas resolvemos ir experimentar o banho turco, numa de seguir a velha máxima "em Roma sê romano".

Ora qualquer semelhança do dito banho, de nome original Hamam, com aquilo a que estamos habituados por cá é pura coincidência! Começando pelo sítio propriamente dito, que é para lá de maravilhoso. Ora os problemas começaram logo com o conceito de "vais ter de estar toda descascada ao pé de colegas tuas de trabalho e algumas que nem conheces assim tão bem". Aqui começaram as perguntas idiotas, do tipo "posso ir só de collants?", ou "será que isto me vai dar cabo do brushing?", o que não augurava nada de bom. Devo dizer que os complexos de estarmos todas descascadas depressa se evaporaram ante a beleza do sítio. É suposto deitarmo-nos num chão abobadado, quente-quente, e por cima temos uma cúpula gigante, com orifícios por onde se vislumbra o céu. Que era onde eu me sentia.

Até uma turca maluca ter desatado a cantar, aquelas músicas típicas, embora na verdade isto até tenha contribuído para eu me imbuir do espírito. Uma colega portuguesa ainda tentou dar o ar da sua graça com um faduncho, mas a turcalhada não lhe deu hipótese, aliás, ao fim de uns minutos já era uma chusma de turcas a cantar ao desafio. Depois veio o "banho a sério", ou seja, a experiência não era só ficarmos para ali estendidas a reflectir sobre a vida, iríamos mesmo ser lavadas. E que lavagem, meu Deus… 

Relembro que estava toda descascada, logo, um pouco desconfortável por andar ali a pavonear-me com tudo a abanicar. Lá me chamaram (era à vez) para o que eu pensava seria uma massagenzinha. Errrr… não… foi um, digamos, valente enxerto de porrada. Comecei logo por avisar a senhora (acho que era uma senhora, espero que fosse, que aquilo era mulheres para um lado e homens para o outro, mas ela mais parecia um bulldozer), no meu melhor turco, "piercing no umbigo, filha, OK?!" e ela olhou para mim do género "olham'esta parvalhona pensa que nós cá não temos disto, oh totó, não viste os 739756 sítios com dança do ventre, não??!". E vá de me arrear uma carga de porrada em todo o corpo, sendo que, em seu abono, nunca se aproximou um milímetro do dito piercing, embora me tenha desferido potentes socos em toda a barriga.


(Foi precisamente aqui, neste sítio)

Depois da sessão de pancadaria, em que somos esfregadas até sair a pele (juro que devo ter mudado de cor) com um sabão tipo azul e branco com um cheiro péssimo mas que faz imensa espuma, por cima dos olhos, do nariz, da boca, e em que mal conseguimos respirar, com todos os orifícios entupidos, passamos à fase seguinte da lavagem automática. O cabelo. Ui, que eu já ia em pânico. Ainda me tentei escapulir, mas tive medo do que me pudesse acontecer se me apanhassem. Mandaram-me sentar e, estava para ali sossegadita da vida quando, sem aviso, e assim do nada, me enfiaram um balde de água FRIA pela cabeça abaixo que eu pensava que tinha havido um tsunami em Istambul. E bumba, logo outro de seguida, que é por causa das moscas. E perdi a noção da realidade, quando duas manápulas me começaram a chocalhar a mioleira violentamente, emaranhando-me o cabelo com movimentos assim numa mistura de batedeira eléctrica em histeria e ventoinha com ataques epilépticos. Vira daqui, vira dali, sacode e bumba bumba cá vai disto, sua vacalhôncia ocidental (pelo menos fiquei com a sensação que era isto que estava a passar pela cabeça da minha carrasca) e despeja-me com o que me pareceu ser Sonasol Limão pela cabeça abaixo e bumba cá vai disto outra vez um arreal de chocalhanço que já não sabia para que lado estava virada.

Em suma: saí de lá toda estrafegada, praticamente sem pele, piercing intacto, uma carapinha que me levou 3 dias a desembaraçar, a cheirar a lava-louças, mas não sem antes ir gozar com as colegas que depois de mim passaram pela mesma lavagem automática. Isto porque a tortura era perpetrada numa salinha ao lado, para ninguém saber o que as esperava, digo eu. Figura linda, nua, dorida, com um cabelo que sabe Deus, mas a rir-me a bandeiras despregadas da desgraça alheia.

13 comentários:

  1. Tenho de ir a Istambul, hehehehe, como é que se chama mesmo o sitio onde isto tudo aconteceu???
    Sim, porque na Tunisia só me queriam trocar por 2 Ferraris e 40 camelos e uma pessoa fica assim, né? Do género: "Sóóóóóó?? Tens essa certeza toda???"
    Loooool

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penso que aconteça em todos! Eu fui ao Cemberlitas Hamam.

      Eliminar
  2. Foi depois desta viagem que começámos a falar.. até me aconselhaste ir ao banho turco e (nem sei como) avisaste-me para que não deixasse as gajas lavarem-me a cabeça.
    Também adoramos a sala e conceito e a massagem??... apesar de ter ficado dorida, foi a melhor que levei, tiraram-me os nódulos todos das omoplatas, pescoço e afins e não me deixaram sair enquanto não estava tudo descomprimido...
    sim porque na outra semana, fui levar uma massagem relaxante, a gaja ainda tinha menos força que uma criancinha e os nódulos que entraram na sala, saíram comigo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As coisas de que tu te lembras, mulher!

      Eliminar
    2. eu tenho boa memória... e foi tb a partir desta conversa que comecei a ter uma marcação cerrada duma pessoa... lololol

      Eliminar
  3. Deixe que não foi só a Boneca que ficou assim, eu fui lá o ano passado e os meus filhos foram, eu por acaso nao fui ao banhp porque estava com uma gripe de todo o tamanho, mas os meus filhos morenos como tudo sairam de lá branquinhos da silva e todos partidos mas bastante satisfeitos, muito giro e uma experiência que ninguem deve perder caso la vá

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apesar do teor do post, eu adoreeeeeei :)

      Eliminar
  4. AHAHAHAHAHHAHA
    Minha nossa!!! Que biolência!!! :D
    Amei ler tudo e cada pormenor....o que me ri! :D
    Apesar de tudo fiquei curiosa e se lá estivesse até era cachopa para me meter nessas andanças....mas sem lavagem ao cabelo!!!! Dois boiões de máscara não deviam chegar depois!! :D
    Bem, que tareia que isso deve ser.... :D

    ResponderEliminar
  5. E faltou dizer que os ditos baldes de água pela cabeça abaixo eram de água FRIA, sim, FRIA .... Devia ser para contrastar com o ambiente húmido e super quente de todo o Hamam ...
    Adorei a tua descrição. Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. MEU DEUS QUE FALHA!!! A ÁGUA ERA FRIIIIIAAAAA!!!!! ARGHHHHH

      Eliminar
  6. adorei rever a cena nas tuas palavras. Bora lá outra vez....

    ResponderEliminar
  7. Já não me ria tantooooo ha muito tampo... adorei o relato!! Imaginei cada momento... E só me apetece rir, novamente, ate me doer as bochechas!!!
    Sou uma nova leitora... mas assidua, decerto, a partir deste momento!!
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que gostaste, Petra! Que a minha tortura tenha servido de alguma coisa ;)

      Eliminar