segunda-feira, 18 de novembro de 2013

O meu compadre é que a sabe

O meu compadre por parte do Máinovo é o autor da frase que melhor me definiu nos últimos tempos, em resposta a um mail sobre o meu almoço de aniversário:
"Como poderia eu faltar à celebração de um dia tão especial dedicado à grandeza de festejar o dia em que o mundo viu emergir um ser de magnificente estupidez e profuso pendor escatológico e asneirento?"

E pronto, é isto, quem me quiser conhecer, é ler a descrição supra. Aliás, estou agora a ter uma ideia maravilhosa. É compilar-se uma espécie de atlas de espécimes esquisitas, que inclua o maluco do apito da Baixa (já aqui o mencionei, tenho um certo fascínio por ele, cá beijinho sr. maluco piiiiiiiiiiiiiii-piiiiiiiiii-piiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii), a Pomba Gira, o bruxo Alexandrino, o professor Herrero e Boneca Maria de Deus.

Boneca Maria de Deus (BDM; s. f.; pseudo-blogger): ser de magnificente estupidez e profuso pendor escatológico e asneirento;

Bruxo Alexandrino (s. m.; bruxo/vidente): pessoa estranha, autor da frase "firme e hirto como uma barra de ferro";

Maluco do Apito (s. m.; senhor maluco): criatura engraçada que vagueia pelas ruas da Baixa apitando como se não houvesse amanhã;

Pomba Gira (s. f.; pomba stripper): senhora meia chanfrada que diz que engravidou do Ronaldo; tem como ponto em comum com ele os pontapés: ele dá-os na bola, ela na gramática. Pensando bem, ele também os dá na gramática. Epá, já é muita coisa em comum, na volta o filho é mesmo dele;

Professor Herrero (s. m.; académico possuidor de farta cabeleira lateral): senhor esquisito, criador da "limpeza a seco das fossas nasais";

E assim sucessivamente.

Que ideia supimpa. Ou então só parva.

1 comentário:

  1. O AMIGO FALA SEM ME CONHECER...PARABÉNS POR TANTA IGNORÂNCIA...

    ResponderEliminar