quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

A Boneca também tem algo a dizer sobre o Cadete

Que, por sinal, morava em Setúbal na mesma altura do que eu, nos anos 80. E eu, grande fã (como aliás todas as adolescentes na época) não porque percebesse de futebol, mas porque o homem era giro (desconto para os padrões da altura, tá?), tinha a sorte de o prédio dele se situar estrategicamente entre a minha casa e o liceu. E eu todo o santo dia passava em frente à casa do homem e tentava vê-lo. Sem sucesso. Até ao dia em que, já nem sei bem porquê, mas imagino que tenha sido por causa de um qualquer rapaz, fui para casa a chorar baba a ranho. E foi assim que finalmente me cruzei com aquele Deus grego (desconto, OK?). Ranhosa, nariz de rena Rudolfo, inchada de chorar e fungosa. Em semelhante figura deplorável que senhor Cadete se vira para mim e diz "Então rapariga?" E foi à vidinha dele. E eu chorei mais ainda, de vergonha.

Pronto, era só isto.

5 comentários:

  1. Gritei várias vezes golo à custa dele!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não, que o gajo era do Sporting ;)

      Eliminar
  2. Agora se passasses por ele ainda tinhas o azar de ele te pedir uma ajudinha para comer! Ou seja o que hoje é amanhã poderá não ser. Beijinhos. Necas

    ResponderEliminar
  3. olá... ó querida, olha que não perdeste nada... na época eu também morava em Setúbal, e via-o muito no estádio do Bonfim, onde eu treinava e por vezes ele aparecia lá... tinha a mania... e hoje vejo que ele só tinha mania...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha, olha, uma conterrânea!! Eu também fazia ginástica no Vitória, rítmica desportiva e dança jazz ;)

      Eliminar