terça-feira, 7 de janeiro de 2014

O dia em que um dos maluquinhos me atacou

Quer-se dizer, ia atacando. Podia ter-me aleijado. Senti perigar a minha vidinha.

Ora há um casal fofinho que vem no barco que carinhosamente apelidei de "os nervosinhos". Isto porque, mal se vislumbra o Montijo ao fundo e ainda faltam 10 minutos para o barco atracar, já o marido está de pé, à porta (que está fechada), pronto para sair. A esposa, essa, espertalhona, fica sentadinha, sossegadita da vida. Fui-me apercebendo disto e resolvi observá-los, sempre na perspectiva antropológica da coisa, atenção, nunca porque sou uma grandessíssima cusca. Pensei, olha, zangaram-se e ela mandou-o pastar. Mas depois reparei que estavam no estacionamento, juntos dentro do carro.

Uma vez, duas vezes que isto aconteceu e eu, um pouco intrigada, resolvi estudar a questão a fundo. O que pode levar um casal a zangar-se todos os dias durante a viagem e fazer as pazes nos 2 minutos e meio que leva a chegarem - separados! - ao carro e depois irem à sua vidinha um ao lado do outro como se nada fosse? Material para tese de Mestrado, olaré.

E foi então que percebi que o marido vai à frente para chegar mais depressa ao carro, para o pôr a trabalhar e para Sua Eminência não ter de esperar por todo este aparato que ainda dura - pasme-se - uns valentes 46 segundos! A senhora praticamente joga-se em vôo pela porta com o carro já em andamento, enquanto eu mentalmente grito GO! GO! GO! É assim uma espécie de "Kit, amigão vem-me buscar", versão Margem Sul.

Recapitulando, vão juntos no barco, o senhor sai primeiro, praticamente larga a correr quando se abrem as portas, liga o carro, só não abre a porta do pendura porque não chega lá, digo eu, e a senhora vem depois (uns largos segundos uuuuh) e atira-se lá para dentro e arrancam. E depois ficam na fila parados com os outros, à espera para sair. OOOOH, que grande anti-clímax, pá, não há direito!

Aqui chegamos ao busílis da questão. Sucede que os nervosinhos têm um carro igual ao meu. Igualzinho, sem tirar nem pôr. Vale a pena estar a contar o resto? Não é fácil de adivinhar? Não? Querem? Só se pedirem muito e disserem que eu sou a Vossa Deusa. 


Então está bem, já que insistem! (vês, Marido, com eles foi logo à primeira, não precisei de chantagem!)

Pois que sendo este o comportamento normal dos senhores, Boneca Maria de Deus depressa se esqueceu e deixou de os observar. Num destes dias, enfio-me toda contente no meu bólide, pronta a voltar para casa, arranco, e sinto uma mocada no vidro do lado do pendura. Travei bruscamente e estava a mulher a tentar abrir-me a porta! Socorro, mãaaaae, que ela vem dar-me porrada, a mulher leu-me os pensamentos e agora vem pedir meças. E aqui devo dizer que a senhora é com certeza ainda mais míope do que eu, porque o marido tem óculos de fundo de garrafa e barba e Boneca Maria arranja o buço numa base quinzenal. Raça da mulher a bater, a bater, eu a querer fugir, mas com medo de lhe passar a ferro um metatarso, lá consegui, e não é que a mulher ainda ensaiou um sprintzinho atrás do carro?! Eh criatura persistente, parei, abri o vidro e disse-lhe "Oh mulher de Deus, o homem não está aqui, catano!" E Ala que é Cardoso, zarpei dali para fora a toda a velocidade, ou então a 30 à hora, que é o máximo permitido dentro do parque de estacionamento.

4 comentários:

  1. Bem, tu realmente atrais maluquinhos... :D
    A propósito, ontem lembrei-me disso. Em pleno shopping, estava eu encostada a um canto a ter uma conversa rápida com o meu namorado pelo telemóvel quando uma senhora de aparência absolutamente "normal" passa por mim e grita-me qualquer coisa como "O Belmiro de Azevedo e o Pinto da Costa andam metidos no tráfico de armas com o Salvador Caetano!!!". "Oi???" Pensei eu. Mas não lhe disse nada. A Sra. entra na C&A, dá uma volta, e ao sair eu ainda estou ao telemóvel. Vejo-a dirigir-se a mim e digo ao meu namorado "Queres ver que a mulher se vai atirar a mim?" E ela "A Opus Dei e a Máfia!!!!" e continua a andar como se nada fosse... Foi aí que pensei "Olha, não é só a Boneca Maria de Deus que atrai maluquinhos! Eu também tenho o dom." Não é de estranhar que estive à vontade 5 minutos à gargalhada com o meu namorado, até porque da 2ª vez ele me perguntou "O q'é q disseste?"
    Pensando bem, talvez a senhora me estivesse a fazer grande bruxedo... Ui! :S

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hahahahaha!! Sinto-me menos só!!

      Eliminar
  2. Que espetáculo, o que eu me ri com este post. Ai obrigada Boneca Maria....e que continue a atrair maluquinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Algo me diz que eles vão continuar a cruzar-se comigo ... não sei se é do cheiro ;)

      Eliminar