segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

E quando um desconhecido te oferece um presente isso é...

... porque tens um blogue. Neste caso foi uma desconhecida. Mas passo a explicar, fazendo uma belíssima introdução. Corria o ano de 2013 quando uma criatura parvinha achou que não estava a conseguir extravasar a sua imbecilidade em toda a plenitude apenas conversando com os amigos e arrotando umas postas de pescada no Facebook. Vai daí, a rapariga, que até conhecia ilustres nomes da área, pediu-lhes conselhos e dicas e resolveu reduzir a escrito os seus pensamentos, dúvidas, assombrações, coisos em geral e absolutamente nada em particular. Longe estava ela de imaginar que haveria rubricas, que muita gente se cruzaria com ela e proporcionaria as mais hilariantes temáticas, e mais longe ainda estava de imaginar que iria ter matéria para escrever praticamente todo o santo dia.

Isto tudo para dizer que eu achava que ia ter mais ou menos 7 leitores assíduos. Mãezinha, mano, Senhor meu Marido, o compadre e duas ou três amigas desocupadas. Mas não, foram aparecendo aos poucos, assim como quem não quer a coisa um seguidor e depois outro, e uns comentários para aqui, outros para ali, gente assídua, que depois começou a dar opinião e até a elogiar, valha-me Nossa Senhora! E eu começo a sentir o peso da responsabilidade, pá. Tenho receio de não agradar, de não corresponder a algumas expetativas, dou por mim a escrever não só para mim, mas também para pessoas que não conheço e que me vão fazendo saber que gostam de mim. E isso assusta-me. Não no mau sentido claro, como as pessoas com valentes pancadonas que fazem buscas taradas e vêm cá ter.  

A primeira situação foi relatada neste post aqui, quando fui contactada por um jornalista. Oi? Eu? Por alma de quem? Eu ainda insisti: o senhor percebeu o meu registo, presumo? Tem a certeza que sou a pessoa certa? Incredulidade, foi o que senti. 

E agora recebi um presente. É verdade. De uma desconhecida. Que não é desconhecida, na verdadeira aceção da palavra, é, sim, alguém que me lê e gosta. E isto não é fantástico? Eu acho. Mas continuo incrédula, não sei se serei merecedora de semelhante honra, não estou habituada a isto confesso. E não sei bem o que dizer. A Inês Dunas escreve livros e enviou-me exemplares para os meus filhos e eu fiquei feliz. Nunca me tinha acontecido, alguém que nunca conheci, mas que me conhece pelas palavras que aqui registo, gosta de mim. Uau. Obrigada Inês, os seus contos vão ser leitura de cabeceira nos próximos dias. O Máivelho já deu uma vista de olhos, o Máinovo, que tem o mesmo nome de uma das pessoas a quem dedica o livro, já se sentou em cima dele, o que me parece bom augúrio. Olhe, o que lhe posso dizer? Obrigada por gostar do que eu escrevo, obrigada por vir cá. É todo um mundo novo para mim, este da generosidade e simpatia em resultado de apenas palavras. 

Mais uma vez friso e relembro que sou só uma pessoa que escreve imbecilidades, nada mais. De qualquer forma um muito obrigada. À Inês e a todos os que estão desse lado, por isso mesmo, por estarem.

19 comentários:

  1. Eu gosto muito das tuas imbecilidades...acompanho-te desde o inicio...e nunca, ou quase nunca, comento...
    E sim...acompanho-te não porque seja uma taradona mas porque adoro a forma como escreves.
    Continua...por favor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Awwwww, não tarda derretem este coração empedernido! ;)

      Eliminar
  2. O seu blog é divertido e genuíno! Diverte-me muito!! Enviar exemplares do meu livro infantil para os seus "máis" deu-me muito prazer e o carinho e a simplicidade com que os recebeu! Um grande beijinho em si e na divertida familia da Margem Sul (viva o desenrascanço da Margem Sul, eu resido no Seixal, quem atravessa a ponte 25 de Abril a comer bananas ou iogurtes liquidos em hora de ponta, ou suporta estoicamente a turbulência das travessias do Tejo, terá sempre a minha solidariedade e empatia) que me proporciona grandes gargalhadas!
    E acima de tudo Muito Obrigada! :))))

    ResponderEliminar
  3. Respostas
    1. És desse tempo, né velha caquética?

      Eliminar
    2. sou sim oh boneca que escreve imbecilidades como ninguem... :)
      eu sou uma dessas amigas desocupadas?

      Eliminar
    3. Hahaha serviu-te a carapuça!

      Eliminar
  4. Dei-me conta há pouco tempo de que no primeiro comentário que deixei tratei a Boneca por "você", mas que a partir daí comecei a tratá-la por "tu". Não sei como prefere (ou preferes), mas eu cá sinto-me sempre uns anos mais velha quando me tratam por você. :) Posto isto, espero mesmo que continues porque gosto mesmo muito das imbecilidade que escreves. Um grande beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podes tratar-me por tu, obviamente. Ou por "parvalhona". Ou "jumenta". É à escolha. Estúpida é que não, que é nome que me irrita. :D

      Eliminar
    2. Tem piada, não tinha dado conta ainda...

      Eliminar
  5. Descobri o blog não há muito tempo mas, desde aí, não passo sem o visitar sempre que venho à net.
    É divertido além de que escreves muito bem! Continua, por favor ... Ok?
    mozi

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hahaha, eu não pensava parar, mas com tanto incentivo nem me atrevo. Aliás, posts sérios como este só de vez em quando, que até fazem mal à saúde!

      Eliminar
  6. Catarina de Castrofevereiro 17, 2014

    Cara Boneca,

    Como leitura assidua que sou, hoje nao podia deixar de te dizer que adoro o tu blog. É como uma lufada de ar fresco depois de um dia a aturar um chefe imbecil como o meu. Muitos dos teus textos relatam o meu dia a dia passados do outro lado da peninsula. Atravesso toda a cidade em transportes publicos para ir trabalhar e na maior parte dos dias é uma aventura chegar ao trabalho com a sanidade mental no sitio ;). Por isso continua a fazer gargalhar ests emigrante que tanto gosta de te ler ;).

    Beijinho ou besito (como preferires),
    Cat

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como poliglota que sou, não posso deixar de responder em espanhol: ca besito de suya Bioniéca emigrianti fiofinha, vuelta siempri piá!!

      Eliminar
  7. Olá Boneca,

    Não posso dizer que venho cá todos os dias, mas seguramente uma vez por semana passo por aqui para descontrair e desanuviar, porque não há como não soltar uma boa gargalhada com os teus textos. Também não costumo comentar, mas hoje não podia deixar de dar o meu testemunho e pedir para que continues a escrever assim, é sem dúvida uma lufada de ar fresco. Beijinhos do Norte. Paula M.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uau, malta também de lá de cima, que maravilha! Um grande bem haja!!!

      Eliminar