quarta-feira, 19 de março de 2014

Eu atraio maluquinhos #13 - Especial Dia do Pai

Ai que saudades, não é verdade? Eu própria estava a pensar que já não possuía aquela magia, aquele je ne sais quoi que tanto agrada às pessoas mental e psiquicamente desafiadas, mas ei-lo! Mais um maluquinho que se cruzou no meu caminho. Desta feita, no estacionamento dos barcos do Montijo. OH RAISPARTA MULHER ESSA JÁ CONTASTE IRRA QUE TÁ A FICAR VELHA!

Caaaalma pessoas! Então, não pode haver dois maluquinhos ou mais no estacionamento? Credo, que talibãs. Preferis que minta, a bem da criatividade artística? Pronto, vós é que haveis pedido. 

Ora então isto passou-se no estacionamento do Fórum Montijo (está melhor assim?!) quando eu estava cheia de pressa para apanhar o barco (estão a ver no que dá mentir?! Agora a narrativa fica inverosímil, olhem quero cá saber, agora não vou mudar, fica mesmo assim. Catano pá, que estão a ficar esquisitinhos). Bom, já me perdi. 

Ah já sei. Ora o senhor maluquinho estava a estacionar à minha frente, e por acaso com uma carrinha igual à minha. Andou para a frente e para trás, abriu o vidro para ver se não batia nos pilaretes, ajeitou o carro mais um pouco e esteve nisto quase 5 minutos e eu à espera. Na minha vez de estacionar, ao lado dele, demorei o tempo de o senhor sair do carro e vestir o casaco, ou seja, mais ou menos 11 segundos.
(Aqui faço um reparo para os mais sensíveis a explicar que não sou propriamente um ás do volante, mas estaciono ali há sensivelmente 15 anos e o meu carro tem pi-pi-pis. E o senhor era um pouco totó também, vá.)

Ora vendo este espectáculo de condutora, linda, bem maquilhada, casaco rosa pálido novo que lhe assentava que nem uma luva (o texto é meu, eu abrilhanto como me apetece, sim?), o senhor é acometido por um ataque súbito de simpatia para com a minha pessoa e, quando eu saio do carro murmura entre dentes mas de forma perfeitamente audível, ele que, volto a frisar, tinha um carro exatamente igual ao meu: "Qualquer m%rda tem um Audi!"

Aaaaah, o belo conflito interior: Boneca Maria de Deus, respondes ou não? Oiço a voz de mãezinha "Vai à tua vida filhota e não te esqueças dos ensinamentos que te passei". Do outro lado penso ouvir a voz do paizinho "E vais-te ficar oh parvalhona? És a vergonha dos escorpiões! Sais a mim ou não?" E pronto, decido seguir a minha verdadeira vocação, isto é, a malcriadice (adoro esta palavra). Todavia, decido juntar-lhe alguma finesse e é assim que apenas respondo, com o ar mais fofinho que consigo, depois de fitar o senhor de alto a baixo "Pois é, caro senhor, tem toda a razão, qualquer m%rda tem um Audi e o senhor é um excelente exemplo disso." E fiz uma dança da alegria interior, porque se repercutisse os movimentos que estava a ver na minha cabeça tinha-me com certeza lesionado porque estava com uns saltos muito altos e saia travada.

(E que melhor homenagem neste dia do Pai que ser rude para com um nosso semelhante, hein? Cá beijinho, paizinho, que te gosto muito, bem sei que não lês isto, mas oh mãe vai lá chamá-lo se fazes favor!)

7 comentários:

  1. Lindooooo!!! Ahahahahhaahhh!!! (Não tivesse eu ascendente em scorpião e de quando em vez também me sai uma ferroada!!! E o bem que sabe? Hummmm!!!!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já percebi que a Inês gosta particularmente de maluquinhos. Ou pelo menos dos meus ;)

      Eliminar
  2. Ahahahahahha, lá em casa é mais ao contrário, a mamã é touro, mas "tem-nas" todas na ponta da lingua, já o paizinho, como militar que é, gosta de ser selecto e chamar a mamã à atenção em privado.
    Claro que eu saio à mamã, mas o paizinho não gosta nada, temos pena!

    ResponderEliminar
  3. Oh até eu já tinha saudade dos maluquinhos! Tenho um carinho especial por esta tua rubrica, não sei porquê. Acho que é por eu também atrair alguns de vez em quando.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu própria já penso em meter-me com as pessoas, só para ver no que dá ;)

      Eliminar
  4. Resumindo, também sou uma merda????

    ResponderEliminar