terça-feira, 4 de março de 2014

Ser velha mas parecer nova

Preâmbulo: Cá beijinho repenicado mesmo no meio da testa da menina pedicure que me arranjou os pés no Fórum Montijo e que insistiu que lhe mostrasse o cartão de cidadão porque não acreditava que esta Vossa serva está no limiar dos quarenta e já desovou duas crias. Disse algo como "Parece que tem vinte e tal!" Pode ter sido uma grandessíssima aldrabice para eu me sentir maravilhosa e com vontade de gastar mais dinheiro, quero cá saber, caiu que nem ginjas.

Não obstante, esta temática não pode ser abordada de ânimo leve, pessoas de Deus. Eu cá levo-a muito a peito, uma vez que já me causou muitos dissabores. Isto porque esta coisa de parecer mais nova não me traz absolutamente vantagem nenhuma a não ser o ocasional afagamento do ego que, como é óbvio, é bastante fugaz e transitório, não trazendo qualquer benefício real e palpável. Dissabores, sim, porque basicamente sinto que ninguém me leva a sério. E não sei quando isso irá acontecer, porque quando for quarentona se continuarem a tirar-me uns quantos anos do lombo continuarei a ter o mesmíssimo problema. 

O que fazer então? Pôr placa? Coxear? Tentar munir-me de vocabulário de velha? "Ai que hoje estou que nem posso da espondilose!", "Bordei uma toalha a ponto cruz que ficou um mimo", "Tive de tomar um Adjuvicil para conseguir dormir!" É isso?

Sem comentários:

Enviar um comentário