terça-feira, 22 de abril de 2014

Curiosidades sobre mim #11 (faz de conta que tem interesse)

- Quando tinha 7 anos atirei-me em voo para cima do meu avô que andava a aspirar o chão de gatas. O objetivo era fazer dele cavalo, mas acabei por aterrar em cima de uma mesa de vidro que se partiu toda e me cortou uma coxa. Resultado: 8 pontos e a certeza de que, com este defeito, nunca poderia concorrer a miss nem arranjar marido. Tenho uma cicatriz feia, mas afinal arranjei um maluco que me atura. Só nunca concorri a miss;
- No entanto, no secundário passei por Miss Escola durante alguns meses, porque quem ganhou o concurso tinha o mesmo nome que eu, bastante invulgar (muito mais naquela altura), e muitos pensaram que tinha sido eu. E eu não desmenti, soube-me bem a atenção;
- Sou extremamente pontual e muito pouco tolerante com faltas de pontualidade alheias. Para meu azar tenho duas ou três pessoas na minha vida que sofrem deste mal e que me testam com regularidade;
- Gosto muuuuuito de comer, só não suporto fígado. E não morro de amores por favas. De resto, marcha tudo! Sobretudo sushi e bacalhau à Brás. Ou espiritual;
- Percebi que havia uma grande possibilidade de estar grávida quando, ao ver no cinema o "Million Dollar Baby", na cena em que partem o nariz à Hillary Swank fiquei de tal maneira mal-disposta que ia vomitando;
- Não consegui anunciar esta gravidez (a primeira) no meu trabalho: contei a uns poucos amigos mais próximos e um deles (uma), à hora de café, resolveu anunciá-lo aos gritos aos colegas. O que ganhou: na minha segunda gravidez foi a última a saber;
- Desde que fui mãe que me dói até à alma filmes em que se maltrata, rapta ou algo que envolva crianças. Ativa-se-me um qualquer interruptor e arrisco a dizer que me dói fisicamente;
- Há coisas que adoro fazer sozinha, ir às compras é uma delas. Outras há que nunca seria capaz, como ir ao cinema;
- Tive Eletrotecnia e Mecanotecnia no liceu. Era uma absoluta nódoa, mas tive boas notas porque era uma miúda simpática e os rapazes ajudavam-me;
- A minha primeira grande paixão foi aos 13 anos. Ele tinha 16, o que aos olhos dos pares dele era uma diferença abissal. Ele gostava de mim, mas tinha vergonha disso. Namorámos escondidos uns meses até ele me assumir. Foi um boost inacreditável na minha auto-estima, aquele rapaz giro, mais velho e popular estar comigo. Fomos muito felizes enquanto durou. Morreu num acidente de carro uns anos depois, tinha 18 anos apenas (já não namorávamos). Penso nele muitas vezes, como seria hoje, se seríamos amigos;
- Confesso que, quando foi a maluqueira dos livros de etiqueta da Paula Bobone, os comprei e li a todos (e já me auto-flagelei por isso): a única coisa que retive - por ter achado uma valente estupidez - foi a de que não há necessidade de cumprimentar as pessoas quando se entra num elevador cheio. Continuo a fazê-lo e irrita-me profundamente quando alguém entra no elevador e não diz bom dia;
- Faço o que, na opinião de alguns experts na matéria, é uma grandessíssima possidonice: molho o pão / a torrada com manteiga no galão. É que não me sabe bem de nenhuma outra forma. Felizmente só tenho oportunidade de o fazer em casa, aos fins de semana. Assim ninguém passa vergonha.

4 comentários:

  1. Quando tinha uns 4 anos atirei-me em voo, para cima da cama da minha avó que faz crochet e espetei uma agulha grossa no rabo! (ainda hoje estou para perceber como é que uma agulha daquelas fura a carne!!!)
    Se tivesse uma colega assim, nem sequer lhe anunciava a segunda gravidez, ela que soubesse por terceiros! lol
    Também andei com o "tipo giro lá do liceu", que também tinha mais 3 anos que eu e que também morreu uns anos mais tarde, num acidente de mota (DT), aos 17 anos.
    E também molho o pão, mas no azeite ou no molho da salada... a minha sogra que tem a mania que é chique torce o nariz... paciência! :P

    ResponderEliminar
  2. revi-me principalmente neste tópico: ... que me dói até à alma filmes em que se maltrata, rapta ou algo que envolva crianças. Ativa-se-me um qualquer interruptor e arrisco a dizer que me dói fisicamente...
    Ir ao cinema sozinho é excelente...eu gosto!!!

    ResponderEliminar