quarta-feira, 9 de abril de 2014

Eu atraio maluquinhos #14

Não vou dizer o nome da loja onde isto se passou, apenas que começa em Calze e acaba em dónia, onde as moças são sobejamente conhecidas por quererem vender até as prateleiras das lojas, os cortinados dos provadores e a mãe. Credo que são tãaaaao chatas, bem sei que estão a fazer o que lhes mandam, mas reservo-me o direito de as achar uns carrapatos. Só lá vou pelo leve 5 pelo preço de 4, não fora isso e fugia da loja como o diabo da cruz.

Depois de já ter escolhido as meias que queria, no âmbito da tal promoção, acompanhada do compadre, que tinha ido à procura de meias para as miúdas dele:
- Então é só isto hoje?
- Sim, é tudo.
- Nao pretende ver mais nada?
- Não, obrigada.
- Não precisa de mais nada?
- Não, não preciso.
- Collants para si?
- Não, obrigada.
- Meias para as meninas? (OK, a miúda pensa que ele é o meu marido, já estamos habituados)
- Não.
- Biquínis?
- Não.
- Um pareo?
- Não.
- Então e este saco giríssimo para levar para a praia?
(Responde o compadre, já morto de riso e, com certeza por estranhar eu ainda não ter avacalhado, resolve tomar ele a iniciativa)
- Não, que ela tem medo de praia.
- Tem medo?!
- Sim, da areia.
- Então para a piscina, pronto.
- Ela também tem medo de piscina.
- A sério??!
- Sim, ela tem medo de azulejos.
- Mas tem aqui o seu cavaleiro protetor!
- Quem eu?! Eu não protejo ninguém!
- Aaaaah, então leve este panfleto: traz o seu biquini antigo para reciclar e recebe 5 euros, não é pelo biquini, mas pelo gesto, para darmos o nosso contributo! 
- ... Sim... OK...
- Aliás, pode trazer qualquer peça de roupa velha e não é por receber o dinheiro, é para reciclarmos, para sermos amigos do planeta!
(Compadre: - Não tarda vai dizer que é por um mundo melhor...)
- E serve para juntos fazermos um mundo melhor!
- ...
E de repente, passa-se da marmita e desata aos gritos histéricos absolutamente excitadona, como se estivesse sob o efeito de uma cena esquisita:

- E PORTUGAL FICOU EM PRIMEIRO LUGAR NA RECICLAGEEEEEEM!!!!!! IU-HUUUUU!!!!!

Eu e o compadre, obviamente, demos corda aos sapatinhos:
- Epá, vamos fugir daqui e é já, que a miúda fumou alguma cena.
- Mas o que é que acabou de acontecer?
- Material para post?
:)

3 comentários:

  1. As raparigas da calzedónia devem viver sob stress tremendo...A ACT devia investigar...elas têm é que faturar...aliás um dos critérios para a selelção dos RH deve ser: ser chata!!!!melga mesmo!!!
    http://dcabanas.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Dessa loja também tenho uma história.... comprei um top interior e vinha um determinado preço na etiqueta e na caixa passou cerca de mais 1,50€, ora como também comprei outras coisas nem me apercebi, mas tinha feito a conta de cabeça (pelas etiquetas) e apercebi-me que o troco tinha qualquer coisa de errado. Ainda dentro la loja conferi o talão e falei com a menina da caixa, entao deu-se a seguinte conversa, após delicadamente lhe dizer que aquilo estava errado:
    ML (menina da loja): Ah sim, esse preço da etiqueta é mais baixo, porque veio de outra loja, aqui é mais caro.
    Eu: Pois, mas na etiqueta está X.
    ML: Sim, eu sei, já vi, mas aqui é mais caro.
    Eu: Mas na etiqueta diz X.
    ML: E o que quer que lhe faça?
    Eu: Que me devolva o restante troco.
    ML: Mas aqui é mais caro, quer mesmo o resto do troco?
    Eu: Quero.
    ML: Mas aqui é mais caro.
    (Pronto, lá perdi a cabeça)
    Eu: Não me interessa onde é mais caro ou mais barato, se na etiqueta diz que é X, é por esse valor que têm de vender e mesmo se existissem duas etiquetas, teriam de vender sempre pelo preço mais baixo, porque é isso que diz a lei, portanto, a senhora, ou me devolve o resto do troco ou me entrega o livro de reclamações para fazer uma reclamação sua e da loja em questão.
    (E pronto... lá tive o meu 1.50€ e fui beber um café!)

    ResponderEliminar