segunda-feira, 5 de maio de 2014

Incursão ao mundo dos gajos

Perante este título sugestivo, aposto como esperavam que vos contasse uma ida a, por exemplo, uma despedida de solteiro. Ou uma sex shop. Pois que não. Temo que foi a um sítio bem mais prosaico. A loja onde todos - ou quase todos - os homens se sentem como uma mulher numa sapataria com crédito ilimitado no cartão. Em êxtase como uma gaja na abertura dos saldos de 50%. Ainda não chegaram lá??! FUI AO AKI!!!

Ah, que interessante. Se calhar passamos a outro blogue com cenas giras e voltamos cá amanhã? Como quiserdes, criaturas ingratas. Mas devo dizer-vos que uma ida ao Aki pode ser uma experiência sócio-antropológica de grande valor. Assim sendo, procederei a uma recensão crítica desta viagem, que eu não perdi lá tempo apenas para ficar mal-disposta com tanta coisa pouco interessante. Algo de bom vai ter de sair da experiência, nem que seja um texto parvo.

Ora então, o que há naquele paraíso de parafusos, tapetes de plástico e material de jardim? O que aprendeste tu, Boneca Maria de Deus, que deves agora constituir uma deusa do bricolage?

Sucede que existem muitos coisos cujo nome não sei. Assim aos molhos. Senti-me perfeitamente imbecil, com tanta coisa que não sabia nomear.

Gostei particularmente destes paninhos abaixo. Não faço ideia para que servem, mas têm umas cores giras para o verão. Fazem pandã com diversas sabrinas que possuo. Talvez sejam para limpar cenas, digo eu, não sei bem o que é isso. Limpar.


Ao me deparar com estes númerozinhos fofinhos abaixo, não pude deixar de agarrar em dois e fazer badalhoquices e perturbar Senhor meu Marido que, com ar de entendido, vagueava pelos corredores à procura de determinados materiais para arranjar cenas lá em casa. Ante o espetáculo de sua rica esposa, a acenar-lhe com dois números que eu cá sei, fez um ar entediado, abanou a cabeça dizendo "só podia", não me ligou patavina e foi tratar de não sei o quê para uns estores. Que é algo que tem tanto interesse para mim como os inseticidas para tratar o bicho da batata. Fui brincar com os números mais um pouco, mas efetivamente só existe um par de números cuja combinação tem piada e rapidamente me entediei. 



Pessoas, afinal também há pulseiras giras no Aki. Oh para elas aqui em baixo. Não tinham era fecho, nem uns pinchavelhos para pendurar, daí que não tenha trazido nenhuma.


Ah, o regresso à infância: os tapetes de todos os balneários por onde passei. Soltei uma lagrimita e ainda pedi ao homem que levássemos uns para casa para pôr na casa de banho, mas fui ostensivamente ignorada.


E estes tapetes modernaços da cor da bandeira gay, hein? São "para os joelhos"… Oh senhores do Aki, mas quem diria, hein, seus danados para a trungalhunguice??! 


E eis-nos chegados à parte que me deu vómitos e tonturas. A dos parafusos e afins. Cheguei à conclusão de que não existem ladrões desta trampa. Aquilo está à vontadinha para quem quiser levar meia dúzia nos bolsos. Porquê? Porque ninguém quer aquilo, pois com certeza. O que prova a minha teoria de que os homens que gostam de bricolage são uns chatos. E não vale a pena apelar ao facto de haver umas quinquilharias que se chamam porcas. É que nem assim o assunto se torna mais excitante.


Não sei quanto aos vossos, mas em sede de Aki baixa ao homem cá de casa o espírito do Querido Mudei a Casa e fica-me insuportável, não havendo nada que o distraia. Eu bem tentei, penteando-me com uma escova de arame farpado ou enfiando a cara numa daquelas coisas que desentope as sanitas (sei lá como aquilo se chama). Nadinha. Nem um sorrisinho esboçou. Parecia inclusivamente que eu o estava a atrapalhar, vejam só. Restaram-me os outros clientes a quem alegrei a tarde, que olharam para mim com carinho. Ou então foi com medo ou quiçá pena, assim de repente já não me lembro muito bem. 

6 comentários:

  1. é incrivel o fascinio dos homens por lojas de bricolage. E ficam mesmo vidrados.
    O homem cá de casa diz sempre...só vou lá buscar X, não demoro nada. Mas uma vez lá, são corredores e corredores de coisas que lhe despertam o interesse...qual menina em loja de sapatos em promoções.
    E o pior...normalmente estas lojas não estão propriamente num centro comercial onde possamos ir dar uma volta para ver outra coisa (o que eles podem muito bem fazer quando vamos às nossas compras)...enfim..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É que eu nem a plantas acho piada, nem dá para ir à secção das ditas,

      Eliminar
  2. Boneca Maria, vamos cá a uma nota explicativa de gaja para gaja... os paninhos fofinhos são de microfibras que é, como quem diz, como aquele carissimos da Tupperware (acredita que sei os preços, porque também os vendo - os da Tupperware, não os do AKI), servem para limpar vidros (por exemplo) sem usar detergente (claro que a Tupperware tem para mil e uma coisas, mas o AKI, como é loja "de homem", servem pelo menos para limpar vidros).
    Acredito que os números sejam engraçados, servem para colocar o "número de polícia" (não este número não prende ninguém) numa porta, por exemplo, loool (sim, que não se metem números de policia).
    Ah correntes, ups, pulseiras... uhhhhh, fofuxas!!!
    Os tapetes dos balnearios... também o eram das peixarias, ehehehe, pelo menos na minha infâncial... ou talvez porque a peixaria onde ía era a fábrica de peixe congelado!
    A sério? Aquilo são tapetes para os joelhos??? Pensava que era qualquer coisa para as piscinas... (burra que eu me sinto agora...).
    E sim, ninguém rouba parafusos... ninguém admite que tem falta deles, não é mesmo???
    E também... o homem cá de casa também fica insuportavel quando tem defazer qualquer coisa de bricolage... se bem que ainda não descobri se fica insuportavel por achar aquilo uma seca ou se fica insuportavel por se achar muito macho e estar a resolver qualquer coisa cá de casa (porque quem resolve tudo nesta casa é a fêmea... e só quando a fêmea não quer é que chama o macho, até porque afinal de contas macho é macho e quando cantam galos não cacarejam galinhas, portanto... o macho que arranje! - Só depois de passar uns 6 meses à espera do macho é que a fêmea põe mãos à obra!)

    ResponderEliminar
  3. pois eu digo-te que há pouco tempo precisei de pregos... e fiquei a olhar como um burro para um palacio para essa secção (como se escreve agora???), pois n sabia que existiam tantos... e garanto-te que joguei a mão e trouxe a quantidade que precisava no bolso das calças :)
    odeio o aki e essas lojas...

    ResponderEliminar