sexta-feira, 13 de junho de 2014

Mensagem ao Santo António

Caro Santóino,
Bem sei que, sendo eu uma lisboeta-apenas-das-9-às-18-nos-dias-úteis, pouca legitimidade tenho para te pedir o que quer que seja. Bem sei, também, que estes anos todos o santo mais meu amiguinho tem sido S. Tiago, lá de Setúbal, santo padroeiro da feira onde me desgraçava em bifanas, farturas e bolachas Piedade (há coisas que só os setubalenses sabem o que é). Gostaria, não obstante, de apelar ao teu bom senso, para que estendas o teu manto celestial, ou lá o que é com que te cobres, ponte Vasco da Gama a fora (são só 17 km, não sejas calão) e contemples a bela vila de Alcochete também com um dia sem trabalhar. É que a malta tem filhos que ainda têm escola, e gostaria de aproveitar o feriado com eles (ou então apenas dormir até tarde), e assim não há condições.

Considera lá isso para o ano, se fizeres o favor, que a malta aqui também tem sardinha gorda e manjerico do bom. Acho eu. Ah, e no que toca a arraiais, meu amigo, não há quem nos faça sombra. E, no limite, também se arranja uma chusma de gente para casar tudo ao molho, sim?

Grata pela atenção. 

Respeitosamente,
Boneca Maria de Deus.

Sem comentários:

Enviar um comentário