sexta-feira, 25 de julho de 2014

A "swear box"

O meu colega de gabinete, inglês, foi um destes dias ao país natal e trouxe de lá uma caixa de lata em forma de casa cheia de caramelos. Duraram pouco, obviamente, e, confrontado com o destino que haveríamos de dar à dita caixa, sai-se com um (em inglês, mas vou passar a traduzir) "-Podíamos usar isto como "swear box". Cada vez que praguejasses, punhas aqui dinheiro." 

Ora, temos portanto que este gajo quer guerra. Só pode. Mas ca porra é isto?! Uma "caixinha panisgas para asneiras"?! Pois que fiquei logo eriçada, arreei a giga e imediatamente me arrependi, pois tal pressupunha coima. E regateei o pagamento, pois seguramente que a p&ta da caixa me vai levar à falência. Assim, cada vez que praguejar, enfio com um post-it dobrado lá para dentro com o impropério que saiu desta boca porca. Digamos que em 3 horas aquela trampa já estava com uma bela coleção de papelinhos amarelos.

O que se conclui? Que sou uma malcriadona, que passo a vida a praguejar e a mandar vir com tudo e todos. Se bem que, em minha defesa, "velhas nojentas" não constitui, na minha imparcial opinião, algo assim de tão grave. Mas lá ficou o post-it correspondente, devidamente registado.

Resultado: penso, mas não verbalizo. Ora, isto é coisa que temo me vá fazer mal: vou ficar com este corpinho cheio de asneiras latentes? A minha cabeça albergará até rebentar valentes vociferações? Qual será a capacidade volumétrica da minha pessoa até que isto transborde?! E nesse dia, largo aos gritos a destratar quem comigo se cruze? 

Temo pela minha sanidade e, em última instância pela do bife, que é assim quem está mais à mão para levar com a dita caixa nas trombas, caso eu me passe da marmita ou eventualmente entre em ressaca. É que se não vai verbalmente, fisicamente poderá ser uma bela solução de último recurso. Assim tipo cigarro eletrónico, se não se pode fumar de uma forma, fuma-se a alternativa. E uma tola britânica configura-se-me um excelente placebo para a minha ira vernácula. E ai do gajo que tenha o azar de mandar um fuckzinho que seja, vai a caixa, vai um sapato, vai o catano, little ordinário, que ainda agora começou esta brincadeira e eu já estou nervosa. Agora vou ali praguejar para dentro de um funil ou assim. Car€&%#, pá.
Cá está a dita, a ser alimentada.
Tem um apetite voraz, a p#ta.

18 comentários:

  1. Ali no gabinete do lado também há uma coisa dessas, mas não é alimentada a papelinhos, é alimentada a 20 cêntimos... no outro dia os meus colegas foram jantar fora!!!!!!!!!!!!!!!!
    IF (Já cá faltava a assinatura!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Linda menina, a assinar. ;)

      Eliminar
    2. Ginásio, passadeira, velocidade 15....passa tudo!!!

      Eliminar
    3. Passa mas é o car... ;)

      Eliminar
    4. Olha o papelinho!!!!!
      IF

      Eliminar
    5. EPÁ ASSIM NÃO HÁ CONDIÇÕES!!

      Eliminar
    6. Ou a moeda de 20 cêntimos!!! :P

      Eliminar
  2. Eu o melhor era abrir logo falência e pôr as economias todas na caixa...
    Fdce que iniciativa mais merds@. :) :) :)

    ResponderEliminar
  3. O bife não tem amor à vida! Ele que vá beber chá com a Rainha e que te deixe em paz, toda a gente sabe que mulher tuga tem bigode e diz c*#*lhadas. O bigode tem solução, mas já o português vernáculo.... Olha ele que não se lembre de instituir isso para os colegas senão peço a demissão!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ui quem será este colega anónimo fofinho...? Ah, eu não tenho bigode, pá.

      Eliminar
  4. Xi! O que praqui vai. Já uma pessoa não pode deixar de vir aqui uns diazinhos que começam logo discussões fabulosas e que tanto interessam cá às maltas do Norte, c£#alho, pá! (Ups, mete aí um papel por mim) Sra. Dona Boneca até parece ali do bairro da Sé! Gosto de pessoas assim, sem peneiras, sem medo de dizer palavrões. :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bairro da Sé rules, car€&@# (não faço ideia do que estou a dizer, mas soa bad ass)

      Eliminar
    2. Eu tou cá em cima no Porto, daí o bairro da Sé. É assim um sítio bastante típico, onde se encontram umas senhoras bastante típicas também. Uma vez vi 2 a discutir e fiquei a assistir aí uns 10 minutos. Nem dá pá explicar por palavras, só mesmo vendo. Aaaahhhh o que eu adoro o Porto! :)

      Eliminar
    3. Só aí fui uma vez e de passagem. Uma vergonha!

      Eliminar
    4. Pois uma vez, ainda era eu solteira e boa moça (portanto ainda morava em Lisboa) e decidimos ir aos Santos... e onde, onde??? Mesmo em frente à Casa dos Bicos, que isto quando é, é a sério!
      Pois que nem lá estivemos meia hora, já eram cadeiras a voar, "senhoras típicas", um a dizer que matava o outro....
      Viemos embora, era muita tipicidade junta!!!

      Eliminar
    5. Xiiii! Uma vergonha mesmo! Tens de cá vir Boneca. Mas com tempo que é pa veres o que é praguejar, o que é bairrismo, o que são as senhoras típicas de que falei... Ah, o Porto! Já disse que adoro o Porto? :)
      (Eu nem sequer sou natural de cá. Sou de um concelho do distrito mas que fica lá mais para o c* de Judas)

      Eliminar