terça-feira, 5 de agosto de 2014

Eu atraio maluquinhos #17

Fila para o caixa Multibanco (sim, é assim, no masculino: "o caixa automático", hein, quem diria, a aprender comigo logo assim de chofre?) Na minha vez, avanço para levantar dinheiro e a criatura atrás de mim encosta-se de tal forma ao meu traseiro que a sinto tocá-lo ao de leve (blagh). Chego-me por isso para a frente até ficar quase em cima da máquina. Na altura de marcar o código, faço o que toda a gente deveria fazer por uma questão de segurança: tapo o teclado com uma mão e digito os números com a outra. E eis que oiço uma voz esganiçada atrás de mim:
- Deve pensar que lhe quero levar o dinheiro! Devo ter cara de ladra, eu!

Boneca Maria de Deus tomou uma resolução de verão, que foi "Não confrontarás maluquinhos a não ser para te defenderes caso algum te ataque". E assim foi, ignorei ostensiva e propositadamente sôdona maluquinha, que agora olhava para as restantes pessoas na fila a fim de dar espetáculo de variedades. Eu cá, guardei o dinheiro na carteira e preparei-me para ir à minha vidinha. Ante a minha passividade, senhora arraçada de Filipe la Féria, já de mão na anca em pose de quem queria peixeirada:
- Olha lá, tens assim tanto dinheiro é, para ter medo que toda a gente te roube?!

Num primeiro esmiuçamento, constato a rapidez com que se passa do tratamento respeitoso por você para o tu. "Não me respondes, lambisgóia?!" é o que isso significa. Numa segunda etapa, reparo na descida vertiginosa de nível materializada na pose "vou rodar a baiana em frente a esta gente toda para te envergonhar, não percebendo de caminho que estou a fazer uma figura triste".

Pelo meu lado, estava mortinha por dar troco, mas, confesso, o sono era muito. E resolvi ir andando e contrariar a minha natureza, que há muito suplicava por resposta torta. E se as tinha bem preparadinhas na ponta da língua...

A criatura lá ficou a falar sozinha (ou com quem estava atrás dela na fila), mas, azar o meu, estávamos numa sala de espera (se eu disser que é dos barcos tudo se torna de repente mais claro, não?) e lá veio a descompensada encostar-se a mim, voltando à carga:
- Vê? (voltou a respeitar-me, tratando-me por você) Levantei dinheiro da MINHA conta, não roubei a ninguém. E não pus cá a mãozinha à frente. Porque não tenho medo que vejam que o meu código é o 1-2-3-4!! Quem não deve não teme, minha senhora!

E foi assim que levei uma gigantesca lição de vida, que transportarei até ao final dos meus dias, e que tentarei passar para as gerações vindouras: "Se és uma pessoa de respeito, e nada temes por viveres uma vida pautada pela integridade e a bonomia, não escondas o teu código Multibanco dos olhares alheios, pois é uma forma de contribuíres para a paz no mundo. Ou então só na sala de espera dos barcos do Montijo. Que já é bom, porque até é grandita. Há gente que não faz o bem numa tão grande área. É que ainda são uns bons 50 metros quadrados. Agora ide em paz e espalhai a palavra."

24 comentários:

  1. Nessas situações também nunca dou resposta... até porque a má educação é tal, que me venciam pela experiência, eheheheheh.
    IF

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu cá dou sempre, porque sou um estafermo mal educado.

      Eliminar
  2. Bolas, que gente maluca! Fizeste bem não responder :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou a roer-me por não ter respondido...

      Eliminar
  3. Ri-me tanto, mas tanto com este texto...
    Vou espalhar a palavra, sim senhora =P

    ResponderEliminar
  4. Que grande falha essa senhora deve ter!

    ResponderEliminar
  5. Ahahaha opá adorava ter estado nessa fila contigo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podia ter acontecido quando apanhaste o barco comigo, né? Tinha sido xuxu beleza!

      Eliminar
  6. Só posso dizer "well done". Há gente que acorda assim com vontade de testar os limites do desconhecido e a melhor resposta é o silêncio e a indiferença!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se eu disser que estou arrependida de não ter respondido, sou feia, né?

      Eliminar
  7. A modos que foi uma lição das boas! Eheheh nunca me ocorreria espalhar o bem dessa forma. Vou ali auto flagelar-me e já volto!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso. Bonito anónimo, é assim mesmo!

      Eliminar
  8. Sim BMD muito feia mesmo! Feia e a temer!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou aqui a penitenciar-me com vergastadas no lombo.

      Eliminar
  9. Essa senhora chegou com a carteira ao seu destino? É que depois de ter dito o código em voz alta, não sei não...mas é capaz de ter feito a felicidade de algum carteirista.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois que não sei e tomara que não.

      Eliminar
  10. Essa senhora devia ter uma falha qualquer, mas ignorá-la foi o melhor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu aqui à espera que alguém quisesse que o circo pegasse fogo, mas nada!

      Eliminar
  11. Tá mal! Devias ter respondido! Inspirada como és para essas coisas tenho a certeza que ia sair uma bela pérola. O que ia animar ainda mais o dia cá dos leitores! ;)

    ResponderEliminar
  12. Absolutamente hilariante! As pessoas deste mundo não deixam de me fascinar. Consigo até imaginar essa pessoa, de mão na anca e boca escancarada, a fazer frente a todos os malfeitores do multibancos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todos os maluquinhos deste mundo acabam invariavelmente por se cruzar comigo.

      Eliminar