quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Reflexões em dia farrusco

Sabem aqueles dias cinzentos em que não se tem vontade de fazer nada, sequer de pôr o nariz de fora do edredão (sim, já estou a dormir com ele!)? Pois, para mim são todas as quartas. E quintas. E na verdade todos os dias, menos sábado. Quer dizer, agora sábado também, porque o Máinovo tem natação e tenho de acordar cedo.

Hoje estou particularmente molarenga e não me apetece escrever sobre nada. Vai daí, lembrei-me de deixar à vossa consideração - para efeitos de reflexão e quiçá posterior análise dissertativa em sede antropológica - diversos tópicos que me parecem pertinentes e que considero ser de valor que se proceda ao seu esmiuçamento. Questões fraturantes, como é aliás meu apanágio trazer-vos, e que rogo que reflitais bem sobre elas. São temas que me ocupam a mente, porque esta Boneca que vos fala não pensa só em imbecilidades. É um ser pensante também em relação ao que realmente nos toca no âmago.

Posto isto, permitam-me que inclua na agenda do vosso dia de hoje os seguintes itens:
- a problemática das teias de aranha nas garagens: o que fazer? Elas moram lá mais tempo do que nós. Poderão alegar usucapião? E a questão de serem sinal de dinheiro? Se as matamos ficamos pobres ou, pelo contrário, matamos muitas e amealhamos todas as fortunas cumulativamente? 
- bolas de esferovite pequeninas: flagelo nos rodapés de uma casa ou belíssimo sucedâneo de neve que se poderá perfeitamente utilizar por alturas do Natal?
- sapatos largos, mas que ainda assim restringem o dedão grande do pé: será problema do sapato ou do pé? A amputação seletiva e feita muito devagarinho e com aqueles sprays frios do futebol dói?
- como usar headphones brancos em dia em que estamos maquilhadas sem que eles fiquem assim cor de tijolo?
- há alguém que consiga comer framboesas sem ficar com as sementinhas presas nos dentes?
- se o senhor ao nosso lado no barco cheirar a sovaco e para não desmaiarmos respirarmos pela boca, basicamente estaremos a engolir-lhe o pivete. Isso não fará mal ao estômago?

Quer-me parecer que já há aqui muito com que se entreterem e, como tal, não darem pela minha falta hoje. Se após reflexão aturada chegarem a alguma conclusão, digam qualquer coisa, sim? Se preferirem, podem partilhar o que vos aflige. Cá beijinho.

14 comentários:

  1. os gases afligem-me. vão-se acumulando ao longo do dia e como trabalho com pessoas ao lado não posso largar-me....
    não sei que faça....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora aí está um tema extremamente pertinente!

      Eliminar
  2. Ainda bem que não te apetecia escrever :b
    Quanto às framboesas esmaga-as contra o céu da boca e evita trincá-las!
    De nada Boneca ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Comer sem trincar não é para mim! :/

      Eliminar
  3. Ora vamos por partes:
    Teias de aranha e usucapião: Não querida Boneca, para isso teriam de lá estar 20 anos, tratarem-te da garagem e pagarem-te os impostos da dita.
    Teias de areia e sinais de dinheiro: Também não deve ser, uma vez que elas habitam incessantemente nos meus espelhos retrovisores e não é por isso que o meu Fiat Punto de 13 anos se transforma, como que por magia, num Dacia Duster novinho...

    Bolas de esferovite: pois que poderás sempre utilizar o aspirador, sim???? Ou então guardá-las para o natal que se avizinha e guardar, esse trabalho de aspirar, para o dia de reis.

    Sapatos largos: Segundo a senhora minha sogra, consegue ainda ter o pé mais torto que o próprio feitio, diz que passar um algodão com álcool por dentro do sapato e de seguida calcá-lo, faz milagres. (Quem é amiga, quem é??? A sogrinha da Zabuela ;) )

    Usar headphones brancos em dia em que estamos maquilhadas: Pois que não uso nem uma coisa nem outra, pelo que não poderei ajudar-te neste tópico tão lindo.

    Comer framboesas sem ficar com as sementinhas presas nos dentes: Isso existe???

    Senhor ao nosso lado no barco a cheirar a sovaco: Eh pah, eu tinha mesmo de me levantar e ir embora, senão vomitava mesmo, respirásse eu por onde respirásse....

    Considerada respondida???? :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Opá, obrigadaaaa. Muito esclarecida. Apenas um pormenor: aspirador? Não tenho carta de condução para isso. :P

      Eliminar
  4. pessoas que passam o dia a mascar a mesma pastilha elástica no local de trabalho e fazem balões como se n existisse amanhã...parece me um bom tema para a dra Boneca... ou então também gostava de "ouvi-la dissertar" sobre o acto de ir a uma marisqueira comer uma sapateira e passar o momento comensal à martelada para comer o bicho sem que salte nada para as mesas do lado...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tópicos para lá de pertinentes.

      Eliminar
  5. Epahhhh, sofro do mesmo mal!! Mesmo embora com 2 gajas no mesmo gabinete, há sempre alturas que não me aguento! E elas também não! É que já tive oportunidade de snifar o rasto que elas pensam não existir.
    Aquela cena de deitar fora e tal e achar que 5 minutos depois já não cheira é um mito, ok!!!! Há sempre uma "bolha" bem acomodada por entre as costuras da cueca/fio dental/parapente e o nosso rabo.
    Quem nunca se levantou após um "pumm" e de repente enquanto te diriges à colega, algo sai das tuas entranhas e tentas disfarçar a bater mais fortemente com os pés ou um "cof cof", levante o dedo!!!!!

    Aqui me assumo, hands up!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Valentes peidorrentas que vocês me saíram.

      Eliminar
  6. Ter de aguentar o bafo de quem bebeu ao almoço, pelo resto das 500 000 horas que se arrastam pela tarde...

    ResponderEliminar
  7. Pessoas a ocupar 2 lugares (um para seu real rabo, outro para sua mala/casaco/marmita/saco do ginásio/guarda-chuva/cão/gato/whatever) em transportes públicos (leia-se Metro do Porto) cheios em hora de ponta e que não se incomodam de desocupar o lugar, mesmo a ver tanta gente de pé à sua volta. Ou então se alguém pede licença para se sentar simplesmente tentam apertar a sua mala/casaco/marmita/saco do ginásio/guarda-chuva/cão/gato/whatever contra si e a outra pessoa fica com 5 cm para se sentar o que faz com que tenha de apertar todos os outros que vão ao lado... E ai de quem se sente por cima da sua mala/casaco/marmita/saco do ginásio/guarda-chuva/cão/gato/whatever... Aí é um 31!
    Também me incomoda a maneira de pôr os talheres a escorrer: virados para cima ou para baixo? ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espécimes meus conhecidos do barco, esses! Essa dos talheres é muito pertinente, sim senhora.

      Eliminar