segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Soccer mom indahouse

Pois que esta vossa humilde serva é, desde há umas semanas, uma soccer mom. És o quê, mulher?! Ora então, passo a explicar: uma soccer mom é, em tradução inventada por mim, uma "mãe de piqueno craque de futebol em potencial".

Sucede que uma verdadeira soccer mom se transfigura mal sente o odor da bancada, ante o cheiro da relva sintética e o bedum de crianças equipadas e transpiradas. E eis que surgem as verdadeiramente perigosas: fêmeas enfurecidas cuja(s) cria(s) despertam nelas umas Donas Dolores in the making, e mesmo que os filhos sejam piquenos nabos no que ao futebol concerne, tal não as demove de aspirar a, um dia no futuro, ter os seus Cristianos para chular apoiar em troca de lhes criar os filhos sem mãe e fazer o almoço. Mas divago.

Ora este espécime habita nas bancadas de um clube de futebol de Alcochete, segue com a atenção de um comentador desportivo as jogadas de respetivos Cristianinhos, usando inclusivamente termos rebuscados como "rematou de primeira", "já sabe abrir linhas de passe" e "Oh totó, passaste a bola para o outro palhaço fazer isso?!" Elas gritam para dentro do campo, incentivam as crias, insultam as crias dos outros, vociferam impropérios e soltam perdigotos enfurecidos, cuspindo as outras mães que apenas gostavam de estar sossegaditadas na sua vida, a controlar os outros filhos que têm de levar a reboque para o treino dos irmãos.

E é aqui que eu entro: eu apenas queria chegar, sentar-me na bancada gelada de fria (nota mental: pencil skirt não é a melhor indumentária) e conseguir que o Máinovo se plantasse sossegado a ver o irmão, não andasse a correr e a pisar as outras mães (tenho mesmo medo que elas o mordam), não se tentasse jogar em voo para o campo ou comer relva. E, se no meio de todo este caos, conseguisse ver uma jogada ou outra do Máivelho (eu já nem peço um golo), tanto melhor.

Sucede que o meu é o new kid on the block. O que faz de mim a new mom on the block, criatura rara e olhada com desconfiança pelas demais. Mais ainda quando aparenta estar mais preocupada com o que se passa fora do campo com outro filho do que dentro das quatro linhas. Grande estafermo, que não insulta, não grita, não vibra. Pelo menos não com o filho que está a jogar. E nem se levanta quando há golo, dizendo "TOOOOMAAAA!!", fazendo gestos fofinhos para as outras mães, simulando o enfiar de punhos em determinados orifícios. E quando esta mãe esquisita decide, num momento mais calmo, sacar de um Kindle para ler um pouco...? PORCA HERÉTICA!!!! O teu filho nunca há de ser ninguém no firmamento futebolístico alcochetano! Má mãe, feia mãe, que em momento algum terás a alegria de ser sustentada por um filho jogador da bola!

Bom, isso não vou ter mesmo, porque o gajo é um totó do caraças a jogar futebol. Mas isso aqui só entre nós, que ninguém nos ouve.

10 comentários:

  1. grande post...em tempos tb frequentei esses ambientes e o que mais me revoltava era ver pais em êxtase total contra o árbitro...com os miúdos a verem o estado dos pais e a sua linguagem obscena...um registo que de facto odeio seja em que sítio for...

    ResponderEliminar
  2. E se eu vos disser que nesta província onde moro, até pancadaria em pais já houve... uma vez que o árbitro é também ele um miúdo e às vezes não marca falta?
    Hein? De gabarito!!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu estou morta por ver porrada nas bancadas!

      Eliminar
  3. O meu namorado quando era mais novo e jogava futebol a sério, dizia que o pior público eram as mães dos miúdos. Eram brutas e mal educadas, e uma vez teve de oferecer porrada a uma ou duas, e parece que resultou.
    But I want to be a soccer mom! :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Serias daquelas que valia tudo até arrancar olhos, não?

      Eliminar
  4. Caso não fosse a pior mãe deste bloco, ao negar esse maravilhoso mundo de homens em calções, peugos sujos, chuteiras que matam qualquer topeira ao serem descalças, até me atrevia a comentar. Mas assim, fico-me pela gargalha interior, de quem já presenciou isso, mas ao estilo esposas loucas, daria para título de filme: 6ª feira 13 em bancada de cimento.

    ResponderEliminar
  5. O meu namorado treinou uns miúdos. E eu ia ver os jogos ao fim‑de‑semana. Até goatava de ver as mães todas despenteadas a chamar nomes ao árbitro e aos jogadores e ao bandeirinha e até ao apanha-bolas (verídico!). Os escalões mais baixos do futebol são os mais emocionantes. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem muito mais piada do que com os seniores!

      Eliminar