segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Aaaaahhh, os aniversários infantis...

O que preferes tu, Boneca Maria de Deus? Tomar conta dos amigos do teu Máivelho durante o aniversário deste num cinema, com as crianças entupidas de açúcar de pipocas, ou borrar um pé todo até ao joelho, hein? Oh meus amigos, venha de lá essa bosta fumegante, que a recebo de braços (ou pés, vá) abertos e ainda bato palminhas.

As crianças são seres que comunicam entre si através de berros, urros, grunhidos e outros sons que só prestes a furar os tímpanos alheios é que são devidamente absorvidos e apreendidos pelos seus pares. Não existe UM ÚNICO exemplar com menos de 13 anos que saiba sequer o que é falar baixo. Não existe. É uma incapacidade das cordas vocais desta gente baixota, que, segundo as enciclopédias científicas, só estão programadas para comunicar aos gritos, porque têm uma espécie de buraco dentro da garganta, buraco esse que vai fechando sensivelmente 1,3 cm por ano e as cordas vocais apenas ficam completamente operacionais lá para a adolescência onde eles começam a aprender a sussurrar (basicamente para os pais não ouvirem as barbaridades que dizem), ou então eu inventei isto tudo.

Onde é que eu ia? Ah, na festa de anos do Máivelho. Eles só tinham de se sentar na sala de cinema que estava toda por nossa conta e ver um filme. Difícil? Pois parece que sim. Porque uma sala de cinema só para eles e às escuras apresenta toda uma miríade de oportunidades que não se podem desperdiçar (e não sejais porcos, porque eles têm 9 anos!!!). Para quê ver o filme quando se pode correr no meio das filas, rebolar cinema abaixo, rastejar cinema acima e atirar pipocas às cabeças uns dos outros?! E quando se pode galgar o palco e ir fazer danças imbecis à contra-luz para a risota dos restantes macacos e o desespero das miúdas que só queriam ver um filme sossegaditas da vida delas? Porquê ficar calados, quando se podem esconder atrás de cortinas a fazer sons de traques?

"Então, gostaste do filme?", perguntei a uns quantos.
"Sei lá, andei sempre a correr pela sala!".

Eeeerrrr, pois ... quanto será que custa alugar um armazém abandonado em Alcochete sem luz e com umas cadeiras lá dentro?

O Máinovo, por seu turno, que teve o seu debut nas lides cinéfilas, amaranhou por mim acima quando se apagaram as luzes e começou a música do início do filme, abriu a goela e não mais se calou até eu o tirar da sala. Todos os 3 minutos que aguentou lá dentro, passou-os a gritar "LIGA A LUUUUUUUZ!!!!", "TÁAAAA ESCUROOOOO!!!" ou "TENHO MEDOOOOOO!!!".

Aaaaahhh, os aniversários infantis... estou mortinha pela altura em que lhes dou uma nota para a mão, um pontapé no cu e a hora para regressarem.

Não podia deixar de ilustrar este post com um dos brinquedos de
que ele gostou mais: um dragão, cujo nome é "Arrota e Vomita".
Aaahhh, que maravilha.

2 comentários:

  1. Conheço perfeitamente o dram :-/ mas entre isso, e no dia seguinte andar a lavar gelatina das paredes de casa, acho que prefiro o filme de terror no shopping

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Precisamente por isso que não me apanham com festas cá em casa!

      Eliminar