segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Mamas, maminhas e mamonas

A minha crónica de hoje na NiT (ide aqui ófaxavor) trata um assunto que me é muito querido. Querido mesmo do peito (pausa para risos pela bela chalaça). Falo da ausência de apêndices mamários, mal que me aflige desde que nasci e que, para mal dos meus pecados, não melhorou com o tempo. Bom, na verdade, melhorou temporariamente em duas ocasiões, mais precisamente quando amamentei. Logo a seguir, puf, desapareceram de novo. É assim. Cada um tem aquilo que merece, e o Criador resolveu dar-me outras coisas. Só ainda não percebi bem o que fiquei a ganhar com a troca, mas enfim. He moves in misterious ways. 

Sem comentários:

Enviar um comentário