sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Sou capaz de ter produzido ketchup

Homens que me leem: sei que irão estar solidários com o meu Máinovo, uma vez que, reza a lenda, os tintins são a parte mais sensível do vosso corpo.

Pois temos que só tenho homens em casa: uns mais pequenos que outros, todos com a mesma idade mental. E movo-me relativamente à vontade no meio da testosterona existente, da porrada, das tampas de sanita levantadas, dos joelhos esfolados e genitália de fora. Porque os homens só estão bem é arejados, tudo lhes faz comichão, tudo aperta e constringe. E ai de quem no banho não manuseie bem as partes sensíveis de Suas Excelências, que alegadamente não têm correspondência no feminino, mas que cá para mim não têm é correspondência na mariquice, porque a malta é rija e até já jogou futebol e levou uns belos biqueiros em zonas corporais mais a norte e mais a sul e não morreu disso, deixem-se de frescuras mas é.

Ora sucede que o que motiva estas linhas é um ataque gratuito perpetrado às bolinhas mais fofas da casa: as de Máinovo. Levado a cabo por esta vossa serva. Não sei se estão familiarizados com a forma como se agarra nos bebés de fralda (bom, quem tem filhos com certeza estará): basicamente pomos um braço pelo meio das pernas e agarramos bem no meio da fralda. Mais ou menos assim:
Num calmeirão com 3 anos e 20 kg não é assim tão fácil.
Isto é tudo muito bonito quando eles têm fralda, um pouco mais feiinho quando não. E Máinovo é um mix, uma vez que usa fralda apenas à noite. Resumindo, agarrei o rapaz a la bebé, pela tomatadazinha, e quase que juro que ouvi squatshhh seguido de um grito do rapaz, que ainda não está familiarizado com a respetiva genitália em pormenor "AAAAII LARGA-ME A PILOOOOOCAAAA!!"

2 comentários:

  1. a sério... não existes... tás cada vez pior....
    eu não te conheço...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Existo, existo ... não tou não ... conheces, conheces.

      Eliminar