terça-feira, 6 de janeiro de 2015

O jogo do empurra ou Das técnicas infalíveis para manipular homens

Nós, mulheres, somos exímias jogadoras de empurranço. Aquela atividade em que, numa base diária, nos esforçamos por levar os cônjuges a fazer coisas que nós próprias não queremos ou não nos apetece fazer, tentando que eles não percebam que estão a ser manipulados, e ainda os fazendo sentir os seres mais execráveis à face da terra se não o fizerem. Parece confuso? Esmiuçarei o tema já de seguida, não sem antes correr com os poucos homens que por aqui devem andar:
"Oh poucos homens que por aqui devem andaaaaar!!! Psiiiiu! Xô."

Pronto, agora que eles já se foram, podemos conversar à vontade. Vou descalçar-me. Ora então, dei por mim a constatar que sou uma porca manipuladora criatura de ideias fixas e incrivelmente preguiçosa que gostaria muito de ter servos, preferencialmente matulões morenaços de dois metros que me dessem cerejas à boca, abanicando-me com folhas de palmeira (no verão) e cobrindo-me de mantas polares (nas restantes estações). Não tendo matulões à mão, resta-me Senhor meu Marido, pedaço de mau caminho também ele bastante matulão benzódeus venha cá que eu não o aleijo, mas que, nos termos do contrato nupcial, acha que não me deve obedecer a não ser em sede de trungalhunguice, e mesmo assim, sabe Deus, só quando a coisa lhe agrada. Mas divago. 

Onde quero chegar é - numa atitude absolutamente abnegada, do tipo "temos-de-ser-umas-para-as-outras" - partilho agora algumas técnicas que me parecem ser eficazezinhas na hora de, chamemos-lhe, dar ordens camufladas. Boss them around. São estas:
- Começar as frases por "Não queres...?" O gajo fica a pensar que foi ele que quis ir buscar-me bolachas à dispensa, fazer-me um chá ou ver 34 episódios do Downton Abbey de seguida. Resulta que é uma maravilha, só não exagerem e tentem, por exemplo, o "Não queres ir buscar-me um Menu Big Mac e 3 Mars ao Fórum Montijo que fica a 5 km, embora sejam 11 da noite e estejas de pijama?" porque diz que não resulta. Diz que.
- Fazer olhinhos / bater as pestanas. Esta resulta bem quando usada em conjunto com a manobra supra, sendo que preciso de lhe recorrer quando o gajo bufa por estar quase-quase a perceber que está a ser valentemente manipulado.
- Recorrer à voz "estupidó-fofa". Admitamos, todas nós a utilizamos quando mais nos convém, aquele cruzamento entre conversa de bebé e pessoa com problemas a nível laringo-bucal. Sendo assim, é recorrer aos nho-nho-nhós e aos biju-bijus e quem é o quiduxo de sua fofinha e cutxi-cutxi e o car&€#& *contém o vómito* e todas as conversas que nem sob tortura confessaríamos utilizar.
- Começar a ordem o pedido por "Queres ser um marido maravilhoso?", seguido de "Então vai lá..." e bumba, cá vai chorrilho do que quer que nos esteja a apetecer.
- Partir logo para a chantagem dissimulada: "Faço-te ... (preencher conforme a disposição) se fores ali à casa de banho e me trouxeres o desmaquilhante, o tónico, o sérum, o óleo facial, o creme de olhos e o creme de noite. E o comando. E Coca-Cola." E lá vão eles, pensando que vão acontecer coisas que não, tão somente, a hidratação da cútis alheia.
- O velho truque já contado neste post aqui, de fingir que lhes pedimos a opinião, quando já temos tudo decidido: "Achas que podemos aproveitar que estamos perto da bomba e atestar o depósito?" soa muito melhor do que "Deves estar mesmo à espera que eu ponha as minhas mãozinhas nesse coiso que deita gasóleo e as deixa mais fedorentas que o rabo do teu filho?!"
- Alergias: do melhor que há para que sejam eles a limpar o pó, carregar cenas e arrumar a casa. Camaradas, funguemos, lacrimejemos, enranhosemo-nos todas: não é bonito de se ver, mas também não se pode ter tudo.
- Aproveitar a falta de memória típica do género e dizer "Da última vez fui eu. Agora vai lá tu estender as minhas cuecas. À sombra. E isso com preceito, meu menino, nada de as pendurar pelos elásticos, nem as misturar com as tuas trampas de poliéster, hein?".
- Graxa pura e dura: a subtileza deste truque está em adaptar a graxa ao que se pretende. Exemplo: "Ai, querido, que sexy que ficas assim só de boxers. E agora reparo: eles ficam muito mais bem lavados quando és tu que os pões na máquina." Se puderem atirar algo depreciativo sobre vocês, tanto melhor. Vá, não custa nada, é por um bem maior: "Valha-me Deus que as panquecas ficam tão, mas tão mais saborosas quando és tu a fazê-las! Eu sou uma naba na cozinha, só sai cagada." Mas atenção, subtileza é a palavra-chave! ("Uau, que gostoso que ficas com barba de três dias. Por falar nisso, podes engraxar-me as botas?" não pega. Não que eu tenha tentado).

Assim de repente é o que me apraz partilhar, não quero maçar as minhas boas amigas. Feel free para partilhar técnicas infalíveis que usem. Menos aquela velhinha que toda a gente sabe, sim? É como diz um amigo meu, não são só eles que perdem, nessa situação também ficamos a chuchar no dedo. Haja imaginação, combinado?

18 comentários:

  1. Todas as minhas técnicas são falíveis. :(
    O senhor lá de casa é, incrivelmente, ainda mais teimoso do que eu. There's no such thing as convencê-lo. Se lhe apetecer, faz-me favorzinhos (e até faz muitas vezes, tadito!). Se não lhe apetecer, não há NADA que o convença...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Buuuuu. Homem tinhoso.

      Eliminar
    2. Pronto, devo dizer para o bem da verdade, que o desgraçado faz, de própria vontade e inciativa, muita coisa que eu detesto, como limpar o pó (também sou alérgica ;)), aspirar, escolher a carne no supermercado, e coisas afins.
      Mas o mérito não é meu. (A menos que conte como mérito tê-lo preparado, logo desde o início da "trungalhunguice" - tive de ir compiar a palavra lá acima - para o facto de eu NÃO fazer estas coisas.)

      Eliminar
    3. Trungalhunguice é a palavra do ano! Qual corrupção, qual catano.

      Eliminar
  2. Ahahahah adorei! Adorei!

    Cá beijinho desta sua seguidora mai fofa!


    Fátima Pereira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cá beijinho (e se usares alguma das manobras quero saber tuuuuudoooo!!)

      Eliminar
    2. Uso pois!a manipulação da "trungalhundice" funciona sempre! :) São uns fáceis pffff "podias ir buscar/fazer não sei o quê" com ar de gato das botas. Se Nao resultar:"tá bem pronto.Logo hoje que me apetecia experimentar uma coisa nova" ou "faço te &%%€%%&&!!!!"


      Fátima Pereira

      Eliminar
    3. Muito bem. Linda leitora. :)))

      Eliminar
  3. Lá em casa só há um gato (dos de 4 patas)... acho que não ía funcionar... lol
    IF

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esses às vezes tb são pouco sonsos, são!

      Eliminar
  4. Se fizeres um livro sou a primeira a comprá-lo! (sobre este tema, claro x))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quer isso dizer que se eu escrever um livro sobre os rituais de acasalamento do bicho da batata não compras? Magoei.

      Eliminar
  5. Começo a compreender a sábia expressão vocês-são-todas-farinha-do-mesmo-saco. (Mas aquilo de que gostei mais foi da "trungalhunguice". Tenho vontade de a usar em todas as conversas que fizer doravante, caraças!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que belíssima partilha. Eu cá também acho a trungalhunguice mui agradável. Era isso que querias dizer, não era?

      Eliminar
    2. Era, era. (Gaita que agora fui ler o que escrevi e a coisa soa esquisita.)

      Eliminar
    3. Esquisito?! Soa interessantíssimo, do género também-quero-ser-como-esta-senhora-que-quer-trungalhunguice-em-todas-as-conversas! Haja resistência.

      Eliminar
  6. Sôdona Sôtora Boneca, e essas técnicas ainda funcionam contigo? Oh pá, com o meu basta começar a frase para ele dizer "vai lá tu... E traz para mim" (porque parte do princípio que quero alguma coisa para comer #cagandalontra), o que não deixa de ser giro quando o que eu queria era que me chegasse um verniz, ou o creme das mãos, ou outra coisa qualquer de gaja. Aí vingo-me e trago mesmo para ele. :D
    De vez em quando lá consigo. Mas cada vez é mais difícil manip..., digo, pedir qualquer coisa. Rais o parta! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Depois deste belíssimo tiro no pé, duvido que alguma vez mais voltem a funcionar... :/

      Eliminar