quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

50 Sombras de Grey - o filme

Sim, fui. E o que retive:

- A pornografia começou logo antes do filme: o senhor da fila da frente levantou-se uma série de vezes e mostrou o rego do rabo peludo e gordo a toda a sala. Um mimo: marcou logo o ritmo de sensualidade para o resto da noite.
- Uma estreia para mim: nunca tinha ido a um filme cuja publicidade que o antecedia incluía livros eróticos e espermicida. Spooky.
- Passando ao filme propriamente dito: tão modernos tão modernos, mas com tufos de pêlos púbicos de fazer inveja a um tapete persa. Blagh, pá, rapem-me isso.
- Das poucas vezes que me ri foi por uma piada que 90% das pessoas que estavam no cinema não perceberam, aliás só se ouviram os meus risos e de Senhor meu Marido. Foi na parte em que ela, depois de ter apanhado uma valente bebedeira e acordado na cama dele, lhe pergunta se tinham estado na trungalhunguice. O moço respondeu "Não sou apologista de necrofilia". Ninguém se riu. Malditas palavras caras.
- Por outro lado, bastava o moço respirar ou tirar a camisola (o que aconteceu em 80% do filme) que se ouviam imediatamente risinhos;
- Havia crianças a ver o filme...um grande uatafâque para os paizinhos delas, é que francamente, pá!
- Em verdade vos digo: é constrangedor ver cenas de sexo atrás de velhos tesudos, que de 5 em 5 minutos pregam chochos ruidosos nas companheiras 20 anos mais novas. Yéc.
- Há pessoas que comem pipocas tão mais furiosamente quanto mais escaldante é a cena de badalhoqueira.
- Daí que eu prefira gomas.
- Do ponto de vista antropológico, devo dizer que muito boa gente precisa de alguma pimenta na sua vidinha. E mais não digo.
- Enchentes? Salas esgotadas? Fossem ao Fórum Montijo, xuxus.
- Por último, um desafio: desafio a criatura mais assexuada a não sentir comichõezinhas com a astúcia de fazer coincidir a primeira vergastada nas nalgas da mocinha com o primeiro acorde da "Crazy in Love" versão kinky da Beyoncé.

32 comentários:

  1. Olha, olha, depois disto, confirmo. A minha vontade de ver este filme é a mesma de fazer a A1 em sentido contrário, de cuecas e com os cabelos ao vento, em cima de uma carrinha de caixa aberta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha, deixa-me que te diga que esse programinha me parece supimpa. Era menina para beber uns copos e lançar-me A1 a fora!

      Eliminar
  2. "Passando ao filme propriamente dito: tão modernos tão modernos, mas com tufos de pêlos púbicos de fazer inveja a um tapete persa. Blagh, pá, rapem-me isso." e os cuecões medonhos que a Anastacia usa?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ESQUECI-ME!!!! Tens toda a razão, que sacos de pão eram aqueles??!!!

      Eliminar
  3. Depois de ler o que escreveu a Caco vim cuscar a tua opinião. Disse ao meu marido que ia ver o filme na próxima sexta ao que ele me responde "Andas frustada?"...Fez-me lembrar o teu ponto "Do ponto de vista antropológico, devo dizer que muito boa gente precisa de alguma pimenta na sua vidinha. E mais não digo." lololol....Quero ir por mera curiosidade e agora tenho mais um motivo, ver quantas pessoas se riem com a piada do "Necrofila"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma razão tão válida como qualquer outra! ;)

      Eliminar
    2. Eu já ia ver, porque li os 3 livros de rajada. Não por estar frustrada, nem a precisar de pimenta. Mas porque gostei e li mais como se de uma história de amor se tratasse, claro que com tuntz tuntz à mistura. Mas agora também quero ver quem se ri com a da "necrofilia".

      Eliminar
    3. Pshiu, não falemos mais sobre isso, que há um anónimo ofendido ali em baixo e pode ouvir e amuar! (tuntz tuntz é muito bom, by the way!)

      Eliminar
    4. Bonequinha fui ver o filme e gostei mto, O Grey arma-se em forte mas basta a Ana dizer k não que ele usa logo as palavrinhas certas. Por outro lado, acho k muitad criticas não foram construtivas passando ao lado da verdadeira msg mas pronto é a minha humilde opinião.

      Eliminar
  4. A sala cheia e só dois inteligentes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É. Foi precisamente isso que eu disse.

      Eliminar
  5. Gostei logo da 1ª história do rabo peludo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como não gostar, não é, Sónia? ;)

      Eliminar
  6. Hummmm, "companheiras 20 anos mais novas"... alguma coisa contra???
    Agora já não, mas tive um namorado 15 anos mais velho, e então???
    (Não vou assinar "IF" senão ficas a saber quem sou, hhihihihihi)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Constatação do que vi, cara pessoa que não faço ideia quem seja. ;)

      Eliminar
    2. Também não vou comentar por aqui, senão ainda vens requerer o Licor de Coentros e depois não sei como será a minha vida! :P

      Eliminar
    3. Olha, olha, quem é ela! ;)

      Eliminar
  7. E os zombies? Onde é que entram os zombies? E o alien? E os vampiros e lobisomens??

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ooooohh, não háaaaaa!

      Eliminar
    2. então não vou ver!! e sangue??? há sangue? e não estou a falar de tampões, mas de membros decepados!!!

      Eliminar
  8. Shame on me, mas tive de ler a da necrofilia duas vezes x)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E também ficaste zangada comigo comó Anónimo? Ou perdoas-me? ;)

      Eliminar
    2. Perdoo-te, mas só desta vez x)

      Eliminar
  9. Por acaso soltei tamanha gargalhada com a necrofilia que não me apercebi se mais alguém riu... Vai na volta e a unica pessoa na sala que se riu além de mim foi a criancinha de 10 ou 11 anos que estava na fila à frente da minha acompanhada pelos pais e que deve ter ouvido essa palavra na aula de Ciencias da Terra e da Vida a semana passada (esta disciplina ainda se chama assim?! LOL).
    Realmente fez-me uma certa aflição todo aquele pelume púbico e aqueles sacos de pão, ainda perguntei ao Senhor meu Fofuxo "Não havia lá maiores?"
    Mas a banda sonora é qualquer coisa, sim senhor!!!!

    ResponderEliminar
  10. Realmente mandei uma gargalhada na piada da necrofilia e agora que falas disso... epá lembro-me que acho que mais ninguém se riu na sala! Credo! Assusta! Mas o melhor do filme é sem dúvida a banda sonora e o mobiliário made in Portugal! ;-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vês, tu és uma inteligente. Como eu e o meu marido ;)

      Eliminar