terça-feira, 24 de março de 2015

Obrigada, Vivian!


Bubble Bath

Faz 25 anos que comecei a deixar de ter vergonha do meu nome. Até então, achava que era daqueles nomes esquisitos e estúpidos fora do comum que ninguém percebia à primeira, o que me obrigava a repeti-lo vezes sem conta. Logo eu, que queria ter sido Ana, ou Maria, ou algo que tivesse eco em outras 20 almas na turma. Não ser a única, e sempre a última da lista. Em todo o lado. 

Quando apareceu o Pretty Woman, o meu nome passou a soar menos estranho, lembro-me de imensas pessoas o terem comentado comigo. E eu fiquei bem contente, pese embora tenha sido hercúleo o esforço para ignorar o facto de ter sido uma prostituta a trazê-lo para o estrelato. Pormenor que optei por recalcar ignorar. 

Assim, onde antes a conversa rezava:
- Como te chamas?
- Viviane.
- Hã?
- Viviane.
- Liliana?
etc. etc.

Passou a ser:
- Como te chamas?
- Viviane.
- Ah, como a puta do filme?

Não se pode ter tudo.

18 comentários:

  1. Loool a propósitos dos nomes, tenho um caso curioso na família: uma prima do meu pai teve uma filha quando eu ainda era bebé. E queria porque queria dar à filha um nome diferente, que não existisse na família, etc etc. Pois bem, tanta preocupação, tanta esquisitice e foi dar à garota não apenas um, mas logo os meus dois primeiros nomes. Há coincidências do caraças. Ah e não, não são dois nomes por aí além. Enfim, lol Bjs MR

    ResponderEliminar
  2. Ah mas é muito melhor a conversa agora quando perguntam o nome. Que orgulho! ;D

    ResponderEliminar
  3. Vê o lado positivo... Antes isso que teres o nome duma ex concorrente da casa dos segredos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom, visto por esse prisma... :)

      Eliminar
  4. Cat de Castromarço 24, 2015

    Aqui à emigranta doi-lhe dado um nome bem bonito e do qual sempre me orgulhei pq era e continuo a ser a unica Catarina da familia :p. E onde é q está o problema? O problema passou a existir qd me mudei aqui para terras catalãs onde já desejei que talvez não tivesse sido má ideia os meus ricos paizinhos me terem chamado Montse ou encarnacion ou o diabo a sete tb seria mais fácil. Entre Catalina, Caterina, Katerina... nunca, mas é q nunca acertam no meu rico nome. Aqui existem nomes do mais rebuscado que possam imaginar e muitas vezes eu penso "mas isso é nome de gente?" Pelos vistos sim e o meu simplesmente não existe por estas bandas e estas bandas não fazem questão de comprender qie é "CATARINA con C al principio, todp A's y una R antes del I". Catano pahhh, nunca pensei vir a ter tantas dificuldades para acertarem com o meu nome, buaaaaaahhhhhh catales do caraças (sem ofensa claro) :D

    ResponderEliminar
  5. Aguenta . E como filha dos anos 70 (?) ainda deves ter direito a um segundo nome igualmente inspirado...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Joana, que criatura perspicaz... Tens toda a razão! Mas é que nem sob tortura eu cuspo cá para fora o segundo nome.

      Eliminar
    2. Oh pá! Agora fiquei curiosa!

      Eliminar
  6. Ahahahah Muito bom! Soltei uma boa gargalhada! Obrigada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De nada Maria. Que a minha cruz sirva de algo de bom! ;)

      Eliminar
  7. espalha brasasmarço 24, 2015

    ahahah isso explica muita coisa deste blog :D

    e Ida, e Lia, e outros por aí. o meu segundo nome tb dá azo a muita confusão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Queres dizer que o meu blogue fala de putices, hein? Queres porrada?!

      Eliminar
  8. Eu cá pertenço também aos anos 70 mas tive direito apenas a um nome próprio. Mas acontece muitas vezes lerem mal o apelido e acharem que é nome próprio: Conceição.
    Já agora vou arriscar no teu segundo nome: Isabel, Patrícia, Raquel...Estou quase lá?! Ass: Ai cocó

    ResponderEliminar