quarta-feira, 25 de março de 2015

Para eles, somos sempre super

É fantástico observar como qualquer coisa que façamos, por mais ínfima e insignificante que a achemos, pareça sempre absolutamente extraordinária aos olhos dos nossos filhos:
- A questão das línguas estrangeiras: o absoluto espanto com que nos ouvem "falar estrangeiro". No caso do Máivelho, o inglês já não o surpreende, mas se falo alemão ele fica a olhar para mim com verdadeira devoção. Ainda que na maior parte das vezes eu apenas me divirta a atirar palavras soltas, como "A borboleta é pão, soletre por favor, sumário Banco Central Europeu";
O simples ato de desentalar um Playmobil da sanita é digno de ovação, mais não seja pela coragem que requer enfiar a mão lá dentro. É um misto de admiração com nojo, mas não se pode ter tudo;
Cozinhar pizza de raiz, fazendo base e tudo (e, meus amigos, para eu brilhar na cozinha, é porque sai algo bem supimpa!): para nós uma chatice, porque as pizzas congeladas do Pingo Doce são bem boas, para eles um verdadeiro milagre da nanotecnologia culinária, digno de um chef com estrelas Michelin;
- O facto de a foto da mãe aparecer na Internet: ainda que não faça puto de ideia porquê (e deixemo-lo continuar na ignorância), o Máivelho vibra como se de um famoso se tratasse. Diz a todos os amigos, embora nenhum deles lhe ligue bóia;
- O tamanho da genitália: aqui tenho de lembrar que estamos a falar de rapazes e do pai, sim? É impressionante o assombro com que observam e a enorme vontade que manifestam em ter igual. Embora o Máinovo mantenha que a dele é a "mais grande" e "mais bonita" de todas...;
- A capacidade de se sacar - qual David Copperfield - dinheiro das máquinas Multibanco: já expliquei quinhentas vezes o processo e o que lhe está inerente, mas não vale a pena. Continua a ser um fenómeno tido como transcendente para os miúdos, e nós os feiticeiros que operámos o feito;
- O facto de os ter transportado na minha barriga: aqui eu própria considero-o um motivo digno de prémio, mas é maravilhoso perceber que, aos olhos deles, a maternidade é efetivamente miraculosa e merecedora de admiração. Que dêem valor, cabeçudos do catano, que escavacaram tudo à saída, dasse. 

8 comentários:

  1. :)
    MAs já te ouviram mesmo a falar em inglês com alguém? O meu, a primeira vez que ouviu (a dar indicações a um senhor na rua), olhou-me completamente maravilhado "ó mãe, sabes MESMO inglês! e a tua voz fica diferente..."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nós quando não queremos que ele saiba do que estamos a falar, recorremos ao inglês. Mas já fomos apanhados, este truque tem os dias contados ;)

      Eliminar
    2. Também usávamos esse truque... Mas entre nós não o impressionava. Devia pensar que estávamos a fingir! :D

      Eliminar
  2. Ahahahaha, eu lembro-me de a minha mãe meter a mão na sanita e pensar "ca nooooooojo".
    Quanto a sacar dinheiro do MB... uma vez estava eu na fila para fazer o mesmo e à minha frente estava uma senhora com uma criança que mal chegava com a cabeça à dita caixa. Quando saiu o dinheiro, dizia a pequenita "oh mãe se a parede está a dar dinheiro tira mais, mãe!"
    Quanto ao terem sido transportados na barriga, lembro-me de pensar que a minha avó devia ter uma barriga até ao chão, porque a minha mãe era tão grande...
    (Ah, e vi um video caseiro, de um parto, filmado de frente e sem qualquer filtro, aos 7 anos... até lá para os 25 dizia que não queria ter filhos!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Belas recordações, não? (Credo, essa do vídeo)

      Eliminar
    2. Imagina-te ires visitar o teu primo que nasceu e o pai dele diz: "sentem-se aí, para vos mostrar uma coisa" e pimbas, aparece a prima do meu pai aos gritos e a cabeça do puto a aparecer... fiquei colada ao ecrã, tipo: "WTF??????"

      Eliminar