terça-feira, 10 de março de 2015

Resumo do Kizomba Day em frases avulsas ouvidas ou proferidas por esta Vossa serva

- O seminarista até tinha ginga. Mas não sei se gostaria de tarraxar com ele.
- Aconcheguei a minha cabecinha nas mamocas do gajo.
- Deveria haver limite volumétrico para as man boobs.
- É difícil dançar com alguém com um volume equivalente a um cacilheiro.
- Olha, aquela parece tua tia. Vai lá tirá-la para dançar, se és homem.
- Não me aguento com a sexyness do seminarista.
- Dos 40 gajos que aqui estão, só 2 dançam alguma coisa de jeito.
- Faz-me espécie pessoas que marcam o ritmo a fungar-nos para o cangote.
- Dancei com um que passou o tempo todo "um, dois, três, quatro, jajão!"
- Por que está aquele moço preto a ter aulas de kizomba? Mas afinal isto não é genético?
- Cheio de estilo o gajo, com as golas levantadas, mas aquilo espeta-se nos olhos de uma gaja.
- Anda cá Jajão, que eu não te aleijo.
- Socorrooooooo!
- Desconcentra dançar com alguém e não conseguir parar de pensar na palavra "desodorizante".
- Olha, queres uma pastilha?
- Irrita-me estes gajos que vêm de fato de treino que parece que vão para a bola.
- Todas as gajas com sapatinhos finos de dança e eu aqui pareço uma matrafona de botas da tropa.
- Não sabia onde havia de agarrar aquela senhora com pneus de lado com a blusa cheia de tiras. Tentei não lhe agarrar nas banhas, mas foi impossível. Argh.
- Devia ser proibido as mulheres virem com partes das costas de fora. Depois um gajo não sabe onde pôr as mãos. Argh.

Boneca Maria escondidinha lá atrás,
mas depois Jajãozinho amigo
faz questão de se chibar.

Sem comentários:

Enviar um comentário