segunda-feira, 6 de abril de 2015

As amplitudes térmicas são a prova que Deus não existe

Olhó-tema-fraturanteeee-fresquinhooooo!!!!!

Quem nunca se questionou sobre a existência de um ser superior, um ente divino omnisciente, omnipotente, omnipresente e outras tantas palavras a acabar no sufixo -ente? Quem nunca deu por si a tentar conseguir descortinar as manifestações da divindade em pequenas coisas como o sol a nascer, o riso de uma criança ou uma peça de sushi magnificamente bem enrolada? Mas mais do que isso, quem nunca deu por si a pensar "Se Deus existisse mesmo, tal e tal nunca teria acontecido!"? Estou a falar de injustiças gritantes como greves de transportes públicos, esgotamentos de stock de Coca-Cola Zero no Pingo Doce ou, como está neste preciso momento a acontecer, o flagelo que são as amplitudes térmicas absolutamente estúpidas. Sim, é este o termo técnico utilizado pelos meteorologistas: "amplitudes térmicas absolutamente estúpidas". Ora estávamos ontem enfardando amêndoas com 28 graus nos queixos, ora nos arrefinfam hoje com menos 10 graus e chuva (e trovoada, que já a ouvi!), numa bipolaridade climatérica de enranhosar o mais rijo sistema imunitário. E uma pessoa corre para ir buscar a roupa fresca e as sandálias, ai afinal não que vai chover outra vez, saca das galochas, ai espera aí que está outra vez um calor do camandro depila tudo, ai porra que afinal o pelame agora até dava jeito que aquecia as partes mais a sul, que estão a criar estalagmites, e AAAARGGGHHHH epá, decidam-se catano! 

Daqui se conclui que Deus não existe (ou se existe, é um sádico do cacete, a rir-se lá de cima a carregar em botõezinhos). Nenhum Deus normal mandava um tempo destes, que perturba uma 'ssoa. Já não se aguenta os narizes dos putos sempre a pingar e as tosses e tira pijama polar e bota lençóis fresquinhos, espera volta tudo novamente e se fossem brincar com as pilinhas hein? Não, pois não, não conseguem, não sabem se as hão de pôr de fora se as tapar, né? Olha, bem feita.

Damn right!

6 comentários:

  1. Qual sádico de cacete, qual quê! Já dizia o poeta que se trata de um Deus castigador! E agora... qual poeta? O Bocage ou o Torga? Bom acho que foram mesmo os dois, mas já lá vai tanto ano que já nem sei!

    ResponderEliminar
  2. poxa estou aqui de camisa de linho e mocassins sem meias a pensar q seria um dia igual ao de ontem e olha já só falta bater dente...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não vês o telejornal... A mim não me enganaram, que eu ando sempre em cima da meteorologia.

      Eliminar
  3. O melhor mesmo é fazer selecção das roupas e ter no armário peças frescas e peças quentes. Caso contrário, vai ser uma roda viva com as mudanças térmicas tão frequentes. De manhã saio de casa tipo cebola (mas a cheirar bem!), vestida às camadas e vou despindo à medida que a temperatura sobe. Quando a temperatura volta a descer, começo a vestir novamente as "camadas". E costumo trazer um par de sapatos no carro para o caso de precisar. Sim porque nestas bandas a "amplitude térmica absolutamente estúpida" (adorei a expressão) chega atingir os 20 graus. Do género: saio de casa as 8:30 com 8 graus. Ao almoço estao 28 graus e às 22h volta novamente aos 8 graus. Começo a achar que realmente há "alguém" lá em cima a divertir-se com estas figuras...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também sou adepta das camadas!

      Eliminar