quarta-feira, 3 de junho de 2015

Carta aberta à Comissão Organizadora das Festas de Confraternização Camponesa de S. Francisco de Alcochete

Disclaimer: este post foi escrito bem a quente, exatamente às 0h57, imediatamente após uma saraivada de fogo de artifício + foguetes + música de Vangelis (o dito espetáculo "piro-musical", sendo que o prefixo piro deve ter a ver com o verbo pirar, as in "ensandecer" ou mesmo "fugir", que é o que eu queria). Desgraçado do Máivelho, que acordou em verdadeiro pânico, a perguntar de onde vinha o tiroteio.

Sem delongas, 

Caras pessoas que doravante carinhosamente designarei por "criaturas sem vida própria", ou CSVP*,

Venho por este meio manifestar o meu mais profundo repúdio pelo arraial que decidiram montar ao fundo da minha rua. CSVP, eu até sou uma vizinha da paz, exceção feita às cuecas que deixo cair em estendal alheio, a ocasional batata nas trombas do cão do vizinho de baixo quando ladra a noite toda, ou o furto das molas da roupa que caem à porta da minha garagem. CSVP, não vou voltar a repetir as queixas veiculadas neste post. Apenas quero acrescentar que tolero animação noturna com parcimónia e respeito pelo meu direito constitucionalmente consagrado ao descanso e, sobretudo, o dos meus filhos. E pela nossa sanidade mental: misturar Ivete Sangalo com Ágata com Master Jake com Delfins com a banda sonora do Fame não só perturba o cérebro de uma pessoa, como configura um atentado à lógica musical que culmina numa salganhada de sons insuportável.

Agora muito a sério, quem se lembrou de prolongar até terça umas festas que anteriormente iam de sexta a domingo em plena época de testes escolares deveria ser largado juntamente com os touros (FYI há largadas que começam às 2 e se prolongam até às 6. Da manhã!), para gáudio da população que, como eu, faz das tripas coração para manter a normalidade dentro de casa quando lá fora é a baderna.

Voltem a vir cá com o púcaro para eu contribuir para o peditório das festas, voltem, que são corridos a rajadas de Nerf. E olhem que há 3 cá em casa.

Assinado,
Uma vizinha com privação de sono 


*Ninguém me tira da cabeça que esta gente não tem mais nada que fazer nem filhos em idade escolar, porque senão já alguém tinha percebido a trampa de ideia que é a duração desta rambóia.

2 comentários:

  1. Estou solidária contigo!
    Durante alguns anos quando morava com os meus pais levava com a festa do S Pedro! Eram 4 dias de Inferno! Foguetes as 8 da manhã e música que fazia a casa toda estremecer! Já foi há uns anos mas ainda tenho pesadelos!!!!!!
    Carla

    ResponderEliminar