terça-feira, 2 de junho de 2015

Há pessoas esquisitas

Confessem lá que não estavam a morrer de saudades de uma crónica mais séria, com menor grau de estupidez e imbecilidade? Pois que se faça a vossa vontade, que eu estou aqui para vos servir e para vos mentir descaradamente, com quantos dentes tenho (são para cima de 20, não tenho a certeza, há muito que não os conto). E saudadinhas da NiT? Muitas, não? Rebubilai, portanto, que voltou o site, agora renovado, restruturado e outras cenas acabadas em -ado, e diz quem percebe do assunto, totalmente responsive a dispositivos móveis. Não faço ideia do que acabei de dizer, só que soa bastante culto. E que depreendo que seja "já se consegue ler as crónicas máilindas no telemóvel sem se escangalhar o indicador para a esquerda e para a direita para se poder absorver todo o manancial de conhecimento que a moça nos proporciona".

E agora ao naco de prosa propriamente dito: todos nós temos aquele(a) amigo(a) que insiste em não experimentar a roupa nas lojas. Que depois nos faz sentir uns chatos por acharmos que é necessário experimentar tudo antes de comprar. Onde é que já se viu, comprar às cegas? Conhecem o tipo? É sobre este total desrespeito da experiência de consumo e enviesamento da viagem mágica que é comprar como se não houvesse amanhã que disserto hoje, aqui, na NiT, fresca que nem uma alface. Ide, ide e leide, Lady. Lêde. Coiso.

4 comentários:

  1. Eu sou uma dessas pessoas (ups!), mas depois acabo por ir trocar e devolver muita coisa =P

    Ah, e normalmente deverias ter 28 dentes (ou 32, se ainda tiveres os 4 dentes do siso)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Shame on you por um lado, obrigada por outro. Serão 28 portanto, que arranquei os do siso todos, como facilmente se depreende por este blogue ;)

      Eliminar
  2. Está mal! Depois aparecem algumas lojas que já não trocam a não ser em caso de defeito e muito menos aceitam devoluções. Este método de trocar/devolver devia ser sempre utilizado em último recurso e não como regra. Infelizmente é um hábito egoísta enraizado em muitas pessoas, que não se apercebem do transtorno que causam. Digo egoísta porque imaginem o cenário: criatura A dirige-se à loja x no dia d em busca de uma blusa. Compra sem experimentar, chega a casa, experimenta e verifica não lhe servir. Entretanto, criatura B dirige-se à mesma loja na data d+1, gosta da mesma blusa, mas verifica não existir o tamanho pretendido. No dia seguinte, criatura A volta à loja para devolver a blusa que, por sinal, era o tamanho certo para criatura B. Sou só eu que acho egoísta o facto de a criatura A não se ter dado ao trabalho de experimentar a blusa e consequentemente criatura B não ter blusa para comprar? Talvez seja por já ter tido uma loja, mas esta política das trocas e baldrocas tira-me do sério.
    E concordo contigo, Boneca. A piada de ir às compras é mesmo experimentar tudo acabando por não comprar nada ou apenas comprar peúgas (já me aconteceu!).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Haja alguém que me compreenda. Vai lá dizer isso na minha página, que já foram mandar vir que o texto não está conforme à atualidade. É que eu hoje estou zen.

      Eliminar