domingo, 13 de dezembro de 2015

E lá fomos nós

Os adultos contrariados, as crianças todas felizes. Ficam aqui, para memória futura, as minhas considerações sobre yet another ida ao circo. Já são 10 anos desta marmelada e perspetivam-se, pelo menos, mais 8. Shoot me now.

- Continua a reciclagem de artistas: ora são ucranianos, passando por russos (até aí tudo bem), e acabando em mexicanos. Aqui, é esfregá-los com base mais escura, pintar-lhe bigodes e ARRIBAAA! (Nesta fase, efetivamente, tinha calhado bem umas margaritas para ajudar no suplício);
- Os rabos de fora já são a modos que uma instituição dentro da instituição que é o circo: moça contorcionista sem nalguedo de fora não é competente, moça que atira cacetes ao ar sem vislumbre de nalga não presta, mulher velha mas com um corpanzil que valha-me deus sem o mostrar devidamente, nomeadamente ao nível do bufunfo, não tem piada;
- Rapazes de calças de licra branca brilhante (aparentemente sem cuecas) enfiadas no rego e com uma t-shirt sem alças, justa, de rede, ouvi-me: ainda que chegueis montados numa mota e de óculos de sol, com ar rebelde, mal se levantam, a malta - embora não vos oiça - imagina imediatamente a vossa voz fininha por vasoconstrição tomatal, sendo que, consequentemente, qualquer réstia de masculinidade se esboroa. Não duvidem disso nem por um segundo!   
- Os nomes daquela gente! Vamos ser bué modernos e internacionais e abstermo-nos de termos Soraias, Carlas ou Vanessas na trupe: teremos, antes, Boladóinkas, Mickailovsons e afins, levando as crianças a perguntar incessante e irritantemente aos pais: "Aquele menino chama-se o QUÊ??!", ou "Aquela menina do rabo é QUEM?!"
- Palhaços: como eu os odeio. E como os meus filhos (e as demais crianças) os adoram. Foram descritos pela apresentadora como "palhaços excêntricos parodistas e musicais" (coisas máilindas) e entraram a tocar "Hello Dolly" em trompete. Essa canção tão circense, natalícia e infantil. Acabaram com "Água Fria da Ribeira", outra canção do mais circense, natalício e infantil. Obviamente, Máinovo, ao ser interpelado para terminar o "Cheira bem, cheira a ...", gritou um "A RABO!!!", o que só prova como é lavadinho. Ainda na temática rabo, basta os palhaços fingirem que as calças lhes caem e ficarem de cuecas de fora para as crianças rirem que nem hienas. Assim sendo, podem abdicar das piadolas sobre o Ministro das Finanças ou a Quinta das Celebridades.
- Por último, lembram-se deste post, onde eu queria saber onde comprar uma maravilha que marcou a minha infância e pela qual eu suspirei todos estes anos? Pois bem, fez com que toda esta provação valesse a pena. Andei à chapada com os miúdos para me abarbatar a isto, rosnei-lhes, ameacei com o corte da PlayStation por tempo indeterminado, e acabei por consumir todos os pacotes que o Pai Natal lhes ofereceu de:  

CATANOOOOOO!!!!! IU-HUUUUUU!
(só dispensava a língua azul, mas não se pode ter tudo)

Para os mais saudosistas, tomem lá os queixumes dos anos anteriores:
Queixume de 2014
Queixume de 2013 + Acrescento

12 comentários:

  1. Ao pé das caixas, no inermarché costuma haver sucata dessa, pah (e sem ser azul)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sucata é o catano pah.

      Eliminar
    2. Modo de d'zer, pah! Que Ella quando compra, nunca é só um pacote (nos entretantos ouvi que há outra marca que vem sem o chupa chupa - que para Ella está lá a mais.)

      Eliminar
    3. A gozar com as Petazinhas Zetinhas, feiosa.

      Eliminar
    4. Não é feiosa, a minha irmã diz que é estupidona!!!!

      Eliminar
  2. fui a única que ficou com inveja das barrigas delas? e havia uma que tinha umas pernas, minha nossa senhora...
    aquela entrada e saída de mota foi só estúpida, ainda se se tivesse metido em pé.. agora, só assim? estúpido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que belas barrigas, efetivamente!!!

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Ai é? Para o ano, vais tu.

      Eliminar
    2. hahahaha... vou mas é uma ova! ;)

      Eliminar
    3. Pois, solidariedade natalícia é mas é o catano.

      Eliminar