segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Fui condenada em tribunal

Pois fui, no processo instaurado pelos adeptos do culturismo que se insurgiram contra o facto de eu ter, perniciosa e vilmente, afirmado que eles se barravam em Nutella e não em bronzeador. Considerei-me culpada (era o meu sonho dizer as palavras "I plead guilty, Your Honour!"), e irei cumprir 4 horas e meia de serviço comunitário numa box. Vestida apenas com um biquini de brilhantes e barrada, não com Nutella, mas com um sucedâneo ranhoso que não dá uma tonalidade assim tão uniforme e natural à pele. 

Assim sendo, e para que sirva de emenda a outras pessoas sem moral, transcrevo abaixo a sentença, entretanto transitada em julgado:


"No processo A351/66 de 2015, instaurado por um grupo de pessoas com bastantes músculos contra a pouco profissional blogger Boneca Maria de Deus, somos a decretar o seguinte: esta será uma sentença exemplar, dada a gravidade dos acontecimentos, que passamos a citar: (i) a arguida fez pouco de uma profissão digna, de pessoas trabalhadoras que, antes de se apresentar a concurso, não se barram em bens alimentícios, mas sim em produtos profissionais, homologados, e isto não tem piadinha nenhuma; (ii) a arguida deveria ter vergonha de gozar assim com o trabalho alheio; (iii) a arguida demonstra ignorância e imbecilidade sobre o processo de barramento de nhecas em corpos esculturais com o propósito de obter pontos em concursos; (iv) a arguida demonstrou podridão intelectual, ao sequer aventar a possibilidade de "arrefinfar uma dentada numa nalga" de terceiros, em claro desrespeito por uma profissão digna, cuja exibição das nalgas é apenas um pormenor; (v) a arguida acha que tem muita piadinha, mas deveria saber que líquidos castanhos a escorrer de boobs é uma situação absolutamente normal, não constituindo, portanto, motivo para fazer humor de má qualidade, nunca devendo ter-se atrevido a pedir leite para fazer um galão; (vi) a arguida, em total desrespeito pelos terceiros musculados, insultou-os sem pudor de "gingerbread girls", (em tradução livre "raparigas feitas de biscoito de gengibre"), o que, claramente, demonstra um total desrespeito pelo trabalho dos outros, além de uma tremenda malcriadice.

Posto isto, e antes que, dado este mau exemplo, as pessoas desatem, por hipótese, a usar chavões como "as mães dos árbitros são todas trabalhadoras na esquina", "os políticos são todos corruptos", "os culturistas obtêm proveito do culto do corpo e do exibicionismo dos seus corpos barrados em bronzeador", ou até insultar o Presidente da República como apenas um nhonhó que faz figura de corpo presente, o Tribunal vem por este meio declarar inconstitucional a menção em tom humorístico e jocoso de qualquer tipo de profissão, começando nos culturistas e acabando nos padeiros. Isto não é a República das Bananas! (Com todo o respeito pelos republicanos bananenses, pessoas de elevada reputação e árduos trabalhadores). Pretende-se, por conseguinte, evitar a abertura de um precedente perigoso, em que pessoas sem escrúpulos acham que podem dar azo à sua liberdade de expressão em plataformas criadas por si.

Adenda: A arguida terá direito a uma atenuação da pena, uma vez que provou ser hiper-mega-fã de Nutella, logo, a hipótese de arrefinfar dentadas em nalgas alheias mais não foi do que uma belíssima demonstração de carinho. Foi, no fundo, até bastante fofinha e elogiosa. Afirma quem a conhece que, quando quer, sabe até ser um verdadeiro estupor, o que claramente não foi o caso."

2 comentários:

  1. Respostas
    1. É recíproco. Barrasses-te tu em Nutella, e também arrefinfaria uma dentada em tua nalga. Com todo o respeito pela tua profissão, e por ti também.

      Eliminar