quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

A fita cinzenta do demo

No post sobre os meus desejos para 2016 mencionei en passant uma paranóia de Senhor meu Marido que me tem valido quilos de cabelos brancos e ameaças de divórcio numa base semanal. Disse eu que esperava que ele parasse de arranjar tudo com a porra da fita cinzenta, de que ele saca quando algo se estraga. Algo meaning tudo. Não há nada que tenha escapado à fúria da fita cinzenta nesta casa de gente doida. O gajo só ainda não arrefinfou aquilo num joelho de um dos miúdos porque, felizmente, tem havido sempre pensos rápidos por perto. Mas eu não ponho as mãos no fogo, até porque vontade de lhes pôr aquilo na boca já houve, inúmeras vezes.

A maluqueira da por ele designada duct tape, num esforço de parecer menos totó do que "a porra da fitinha cinzenta", é tal, que já se tornou motivo de chacota entre amigos e familiares. Algo que tenha um problema, bumbas, lá vem o homem de rolo em riste. E é assim que tenho estores, pés de armários, caixas, cabides, a máquina de tirar borbotos, tudo com pedaços cinzentos. Algo que aconteça e alguém me diz "não te preocupes, que o teu gajo resolve isso com a fita cinzenta!". Lembram-se deste episódio com o pombo? Têm uma oportunidade para adivinhar com quê foi tapado o buraco onde se esborrachou o Columba livia. Pois. 

A propósito desta reflexão, sou muitas vezes presenteada por pessoas malucas com diversas utilizações alternativas e, assim, a minha fé no meu Marido é restaurada porque, aparentemente, o mundo está pejadinho de criaturas insanas tal qual ele. Coisa máilinda de sua Esposa!


Qualquer uma das imagens abaixo poderia ilustrar a minha realidade diária:






E, por último, para mim o que poderia ser a utilização mais nobre da fitinha cinzenta do demo:

2 comentários:

  1. oh boneca é que a fita cinzenta é como A Força (sim referência geek ao Star Wars): has a light side and a dark side and holds the universe!
    Cat

    ResponderEliminar