quinta-feira, 21 de abril de 2016

Assim perco a fé na humanidade

Um destes dias no Facebook aqui do pardieiro publiquei a foto abaixo, numa espécie de exercício de auto-controlo, e comentei que me estava a conter para não arrear um chuto e escangalhar a puzzle de Senhor meu Marido, que estava sossegadinho na vida dele, puzzleando todo contente. E eu com ganas de o perturbar, que aquele momento zen estava a dar-me cabo dos nervos. E, diga-se de passagem, a tampa ali em equilíbrio instável estava mesmo, mesmo a pedi-las.


Ora sucede que, no lugar de pessoas magnânimas, do bem e da paz, que viriam em defesa do coitado, surgiu ao invés um exército de carniceiros ávidos de sangue e traulitada, a incitar-me com palavras de ordem como "arreia-lhe um biqueiro", "chuto nisso", "não és mulher não és nada", "desafio-te a mandares um chapadão nisso de baixo para cima enquanto gritas YOLO biatch!*", entre outros mimos. No meio destes sanguinários, apenas uma ou outra vozinha sumida diziam "deixa lá o homem descansado, puzzles são coisas sérias, sua porca".

Permitam-me ainda que acrescente que, nos tempos que correm, tecnologicamente avançados e onde nada acontece se não estiver em suporte eletrónico, foram várias as almas que me invetivaram a registar comme il faut o que fizesse. "Escangalha isso e grava tudo". Porque se não houver prova visual, não aconteceu. Não, não bastaria eu contar o sucedido! A minha palavra não serviria de absolutamente nada. Teria de produzir evidência física (que muito provavelmente incluiria nódoas negras). 

Eu como sou muito obediente e não fujo a um desafio, anui: 



E apresentei o estrago possível, que não comprometeu a minha integridade e me fez conservar intactas as duas perninhas que Deus me deu. Porque isto de ir provocar o bicho quando ele está manso e em altura de lazer é tudo muito bonito quando é assim de longe, não é, valentões? A outra que o cutuque com a vara curta. E mesmo assim, depois de lhe estragar o canto do puzzle quando ele estava distraído, larguei a correr (não sem antes tirar uma foto) e fiquei uns tempos na casa de banho, just in case.

Em jeito de conclusão, devo dizer que fiquei contente por ver tanta gente com maus fígados recalcados. Não estou sozinha neste mundo, vinde a mim!



* A criatura que sugeriu isto e que inclusivamente me ofereceu dinheiro para o fazer só podia ser da minha família... E também solicitou gravação, como é óbvio.

10 comentários:

  1. Vozinhas sumidas não chegam ao céu. Anyway... watermelon.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu tentaste, mulher. A única alma sã no meio daquela gente toda!

      Eliminar
  2. Faz me feliz vir aqui ler este cantinho da internet. Fico de coração cheio ao ver que não estou sozinha! :D

    ResponderEliminar
  3. "Puzzles são coisa séria, sua porca!!!"
    Adoro puzzles e fico piursa quando alguém se mete com os meus. E quando alguém vai para a minha beira "ajudar" e me mistura as peças todas?? Grrrrrrr!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Traz cá o teu puzzlezinho a ver o que eu lhe faço.

      Eliminar
  4. Foi esse o estrago? Fraquiiiinha :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pshiucale-se, que arrisquei a minha vida!

      Eliminar