domingo, 5 de junho de 2016

Sim, estamos na altura das festas da freguesia, de novo

Gostaria que reconhecessem o facto de eu estar a fazer um enorme esforço para me acalmar este ano, não obstante adormecer com pimbalhada, acordar com foguetes, ter mijo e merda à porta da minha garagem, assim como adolescentes a fumar charros (sentadinhos no chão desinfetado com lixívia horas antes por Senhor meu Marido, imagino o estado em que ficaram com a roupa MUHAHAHAHA). Não me têm ouvido queixar muito pois não? É verdade, não sei se o aproximar dos 40 me está a amolecer, ou se ando tão cansada que não há música nem foguetes que me acordem, o que é certo é que, fora os presentes à porta da garagem e os condicionamentos de trânsito, já não tenho ganas de matar conterrâneos à catanada, nem de esventrar pessoas avulsas com uma motosserra. Não será discipiendo o facto de os testes do Máivelho já terem acabado, o que também era um factor de stress. 

Lamento, pode ser que para o ano me voltem os impulsos homicidas. Por enquanto, paz e amor, sandes de coirato e pães com chouriço, VINDE A MIM.

E agora deixo-vos com o que estou a ouvir neste momento, desse grande artista, o Mike da Gaita:

"Eu vou pro-cu, eu vou pro-cu,

Vou procurar essa mulher
Se ela for meiga comigo
Dou-lhe tudo o que ela quer"


Desabafos anteriores:


2 comentários:

  1. Continuo a adorar o ato de esventrar pessoas com uma motosserra! Não que eu tenha tendências homicidas, plamordedeus, quiéisso?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Proooonto, Miguel, já passou. Está tudo bem. Cá beijinho. ;)

      Eliminar