domingo, 4 de setembro de 2016

Parque Warner me encanta

Lá foi a família bonecal, tra-la-la, roadtrip para todos, vai ser bué divertido, mas valha-me Deus, que aguentar duas crianças que acordaram às 5 da manhã e não dormiram sequer 1 segundo das 6 horas de viagem de carro é motivo para abortarmos a missão à primeira escapatória. Tenho para mim que nunca fiz tanta ameaça/chantagem na vida. Mas lá chegámos. E a recordar ficou:

- A estranheza de Máinovo ante o facto de toda a gente falar espanhol: "Porque é que só tem de haver espanhóis?", "Porque é que toda a gente neste país não fala português?" Aliás, no espetáculo abaixo, aguentou 3 minutos porque a raça dos bonecos, obviamente, só falava a língua de Cervantes.



- De 5 em 5 minutos, aliás, a criaturinha perguntava "Ainda estamos em Espanha?!", o que à 600ª vez se tornava deveras irritante. Repetição foi a palavra de ordem. Só nestes carrinhos de choque, foram 329 as vezes que ele andou, mais coisa menos coisa:




- A maluqueira foi total, sendo que as minhas crianças a sentem ao nível do baixo ventre: "A minha pila está muito contente com esta diversão" (Máinovo). No entanto, também Máivelho, descrevendo a viagem na montanha russa do Bip Bip (em espanhol Correcaminos, credo), disse "Senti uma sensação esquisita na pila". Logo a seguir, ajoelhou-se e beijou o chão.


- "E se todos íssemos para a piscina?" Bora lá então. 




- Olhando para a montanha russa abaixo (nem tive coragem de me aproximar desta), Máinovo pergunta "Afinal quem é o conduzista deste carrossel?"



- Num carrossel com uma velocidade já jeitosinha, em que eu pensei que Máinovo iria chorar, olhei para ele, com ar um pouco assustado e perguntei-lhe "Está tudo bem? Gostas?". Resposta: "BOMBAAAAAAAA!!!!!!!!" Palavra que repetiu 680 vezes mais, sempre que a velocidade era mais do que 3 km/h.

- Na foto abaixo, Senhor meu Marido é um pontinho lá em cima. "O Pai foi andar na montanha do Super Homem. E tu, Mãe, vais andar na da Super Homina?"




- Uma das frases também mais repetidas por Máinovo: "Odeio o metro e quinze!", que verbalizava toda a sua raiva pelo facto de não chegar aos 115 cm mínimos necessários para poder andar em certas diversões.


- No segundo dia, já preocupado, o rapaz perguntou-nos, em relação ao hotel: "Vamos ficar a morar nesta casa o resto da nossa vida? Espero que não, que isto é tão pequeno!" Sendo que quando lhe tirei os sapatos, era neste estado que estavam piquenos chispes:


- Singela mensagem para a malta que dobra todos os filmes: Amigos, tudo parece um filme porno! Até os pinguins do Happy Feet, quando diziam "Oh sí, cariño!" Deixai os filmes na língua original, por obséquio, mais não seja para evitar os risos dos portugueses durante o visionamento.

Os três homens da vida e um dedo da monga da fotógrafa
a estragar a foto de despedida. Damn.

16 comentários:

  1. Ah! o Parque da Warner!! Fui aí com o meu filho na viagem de finalistas dele ... do infantário!! Para quem acha que não é fácil gerir a excitação de 2 crianças... é só imaginar uma turma de 14. Todas de 5/6 anos. Viagem de autocarro de cerca de 7h para cada lado incluída... Mas foi o máximo!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cada cidadão coça a sua comichão, que é como quem diz, a mim, estas duas crianças já me deram água pela barba! (e foi o máximo também!)

      Eliminar
    2. Viagem de finalistas do infantário é que é o cúmulo....

      Eliminar
  2. O que é fantástico são as pessoas que acham sempre que as suas histórias são piores. Duas crianças? Pffff. 14 é que é. A Boneca não se pode queixar, portanto.

    ResponderEliminar
  3. O mongolismo não é um insulto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se no meio de toda esta história, toda esta felicidade, é nisso que pega, então, anónimo, tenho para lhe dizer o seguinte: bardamerda.

      Eliminar
    2. Muito melhor agora.

      Eliminar
    3. Ainda bem. Claramente não é visita regular, senão abstinha-se de parvoíce. Porta da rua, serventia da casa.

      Eliminar
    4. Visita regular pelo menos à ano e meio/dois.

      Eliminar
    5. Então, francamente, não entendo o reparo. Eu a chamar-me, a mim, de monga, foi o que a deixou aporrinhada, é o que tem a comentar? Uma pessoa que conhece o registo do blogue? Mais valia ter estado calada, então. E acrescento: quem tem mongolismo é mongolóide, não mongo, e, obviamente, não é para aqui chamado. Insultuoso é que eu tenha de explicar. A conversa fica por aqui.

      Eliminar
  4. Uma animação, portanto.
    Muito engraçada essa do Máinovo estranhar todos falarem espanhol. Acho que devíamos aproveitar a deixa e fazer uma petição para se falar português no mundo todo (o que talvez não seja uma ideia muito boa, tendo em conta a profissão da mãe dele). :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu vê lá, que tenho dois filhos para alimentar!

      Eliminar
  5. Ahah :D os teus miúdos são os maiores!

    ResponderEliminar
  6. Adoro ler o que escreve, a forma como escreve. Diverte-me sempre. E já me fez soltar uma grande gargalhada hoje. E são 8 da manhã. De sábado. Marisa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Marisa, tendo em conta que eu sou uma pessoa que às 8 da manhã tenho é ganas de esventrar esquilos bebé, agradeço-lhe as palavras simpáticas. São 9 de sábado e fez com que se me atenuassem estas vontades, que em nada se coadunam com a vida em sociedade.

      Eliminar