quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Alugam-se filhos

Em primeiro lugar, estou a fazer figas para que os leitores da Visão (os da NiT já sabiam o que a casa gastava) sejam pessoas que apreciem uma boa ironia. Se não, acho que vou ter os serviços sociais à perna. Desta feita, resolvi escrever sobre o que melhor sei fazer: queixar-me dos meus filhos e oferecê-los em aluguer de curta duração. Proponho, desta feita, soluções inovadoras e serviço público de qualidade. Aliás, estou agora aqui a pensar se, com um generoso crowdfunding, as minhas ideias não terão pernas para andar... Ora clicai neste link amoroso e absorvei o naco de prosa.

6 comentários:

  1. Mainovo cá para casa, sff!!!

    ResponderEliminar
  2. Já lá tem um comentário azedo. Rais'coma esta gente que leva tudo à letra.
    Dulce/Porto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho de me conter para não ir lá responder. Não devo, infelizmente. Mas que me dá comichão a falta de sentido de humor, isso dá. Tenho para mim que se eu dissesse que rifava os miúdos, haveria gente que acreditaria.

      Eliminar
    2. E que se calhar até comprava a rifa!
      Isto agora não se pode brincar com a instituição celestial que são os filhos, os petizes, as criancinhas.
      Dulce/Porto

      Eliminar
    3. Dulce, o que me parece quase alienígena é que haja pessoas que nem chegam a perceber que se trata de brincadeira. Mas enfim, não vou desistir de escrever para inteligentes.

      Eliminar