quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Os programas deles. E os delas, obviamente tão melhores

Senhor meu Marido está, no momento em que escrevo este post, a ver o enésimo programa em que uns senhores compram uns chaços velhos, desconjuntam-nos e depois vendem-nos com lucro. E eu questiono-me, com genuína estupefação, onde catano está o interesse daquilo. À 49a transformação, a fórmula já é batida: compra velho e escaqueirado, arranja, gasta uma pipa de massa, mas vende como novo por mais dinheiro ainda. Vira o disco e toca o mesmo. E não compreendo por que me é tão difícil explicar-lhe a fórmula vencedora de um programa onde uma dúzia de modelos estão numa casa durante uns meses, durante os quais são postas à prova para no final a vencedora ganhar um contrato com uma agência.

Antes deste a distração dele era um programa sobre como se fazem objetos assim no geral. Desde a construção de sticks de hóquei, até alguidares, passando por loiças sanitárias. Todos os respetivos processos de fabrico descritos até à exaustão. E ele absolutamente vidrado naquilo. Pode um filho cair da cama de cabeça, que o gajo nem ouve (dizem as más-línguas que já aconteceu). E eu, bocejando e pensando quão mais interessante é o visionamento da cozinha de um chef famoso, acompanhado da filha menor, a ensinar-nos pratos de fazer babar o mais devoto anti-hidratos.

Então e um documentário sobre animais, daqueles bem fofos e peludos, que dá vontade de pentear e dar banho, não é tão interessante? Diz que não, o homem. O voto dele vai, ao invés, para variadíssimos episódios sobre a Guerra do Ultramar, com testemunhos reais e porradaria velha.

Posto isto, pergunto eu, para quando a harmonia conjugal em sede de visionamento televisivo? Será utópico sonhar com um mundo em que ambos os elementos do casal se encontram no sofá sem que este se torne zona de conflito em que ambos - sobretudo eu - se precipitam em voo para agarrar no comando e assim ter o poder decisório? Em que "ou é a Anatomia ou não há trungalhunguice durante um mês?" 

Quanto aos outros agregados familiares não sei, mas por estas bandas o consenso chegou sob a forma de um programa sobre uns casais que renovam casas antigas, gastam uma pipa de massa, e transformam-nas em sítios belíssimos para viver, vendendo-as inclusivamente com enorme lucro. Assim sim, entretenimento de qualidade!

Se não a podes vencer, junta-te a ela, diz ele. Deixa-o pensar que isto se vai estender aos resumos da Primeira Liga, digo eu. 

12 comentários:

  1. Entre essas opções, venha o diabo e escolha... :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São as que dão azo a menos pancadaria, senhor.

      Eliminar
  2. Esposa amada gosta de ver as Kardashians e os Rich Kids of Berverly Hills deste mundo. Eu sou mais NBA, Benfica no geral e Investigação Criminal (a original, com o Gibbs e o DiNozzo e o McDimwitt). Encontramo-nos a meio caminho, vemos o Scandal, o Quantico e outras séries do mesmo estilo desde a Season 1. E aproveitamos quando um não está em casa para matarmos a fome daquilo que realmente gostamos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por estes lados chega a haver ameaça de sangue quando um se atreve a continuar a ver um episódio de uma série "comum" quando o outro por acaso adormece a meio ;)

      Eliminar
    2. Mais sobre o assunto aqui:
      http://www.nit.pt/article/09-17-2015-do-visionamento-compulsivo-de-series-em-sede-conjugal

      Eliminar
    3. Já houve uma discussão ou outra relacionada com esse tema. Não chegamos à parte do sangue. Mas já endureceu uma vez ou duas!

      Eliminar
    4. Casamento sem sangue por causa da TV não é casamento! :D

      Eliminar
    5. E com isto, ajuntei um pega-monstro ao texto. E ri-me... Ri-me muito. Porque me lembrei da cena do polícia e fiu fiu fiu ó pra mim aqui tão sugadita enquanto um artolas qualquer desatou a buzinar mesmo aqui à minha beira. Muita bom!

      E fiquei com a certeza que mesmo sendo vizinhança, na te conheço.

      Por isso digo sem pudores e sem medos. Já chegou ao sangue. Já fiquei com um olho negro porque me atrevi a ver o Chicago Med nas costas dela. E o Scandal. E o Quantico. E uma vez que apaguei uma season inteira do I Robot porque pensei que ela não queria ver.

      Basicamente, sou a pinhata lá de casa!

      Eliminar
  3. Por cá, a televisão é só minha 🙏🏽 sou mais de séries, mas que programa é esse sobre a renovação de casas? Arquitetura e as "coisas modernas" de há algumas décadas é algo que me fascina.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sic Mulher, acho que se chama House rules.

      Eliminar
    2. Já sei qual é, esse é aquele em que há várias equipas que vão sendo eliminadas, não é? Estava a imaginar uma coisa diferente

      Eliminar