segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Beijo na bochecha ou mero encostanço de face?

Hoje traz-me até vós uma temática que me preocupa e, arriscaria dizer, aporrinha valentemente. E o que te aporrinha valentemente, perguntam vocês, já de lágrima no olho, por antecipar uma valente aporrinhação? O que me aporrinha, de facto, valentemente é a dicotomia presente nas relações sociais "arrefinfar um beijo vs. meramente encostar a bochecha" aquando de um cumprimento. Esta é uma problemática ausente das sociedades germânicas, onde apenas se trocam frios e fugazes apertos de mão, dos esquimós, onde apenas se esfrega o nariz, ou das comunidades de lamas sul-americanos, onde uma valente escarreta no meio da testa é o meio comum de cumprimento. A não ser que seja a sogra do lama: essa recebe uma lambadona bem assente na tromba. Isto é que é saber viver, c'um catano, estes camelídeos é que a sabem toda.

Esta situação aporrinha-me, portanto, valentemente, porque não sou muito dada a contacto físico com pessoas em geral. É mesmo assim, não gosto cá de beijinho e nhonhonhó, por mim era tudo corrido a escarreta. Ou vá, a um aceno de mão acompanhado de um "tá-se?" e pronto. Não podendo, e fazendo um esforço de convivência com os demais humanos, sou das que encosta a cara num cumprimento. Acontece que nem toda a gente está no meu cumprimento de onda. E é aqui que entra em cena a valente aporrinhação: uma pessoa, num gesto temerário e de abnegação, dá a cara, e é brindada em sua cútis hidratada e magnificamente maquilhada com um chocho não raramente barulhento e com laivos de humidade. 

BLHÉQUE.

Venho, assim, aproveitar este fórum público com uma audiência de 6 pessoas por dia para ministrar um workshop sobre desnojificação de cumprimentos. Na primeira fila estará Senhor meu Marido (que aprenderá - nem que seja à força, porra - que só poderá perpetrar essa atividade do demo para com sua cônjuge amada), todas as avós e tias-avós do planeta (estudos demonstram que quanto mais velho e com mais bigode, mais babosos e ruidosos são os beijos pespegados em bochecha alheia) e demais interessados que queiram ampliar os seus conhecimentos. O Módulo 1 chamar-se-á "Desumidificação de beiças pré-osculação"; o Módulo 2, com a participação especial de um fisioterapeuta, será designado por "Identificação de potenciais contraturas no pescoço responsáveis pelo não oferecimento da cara", e o Módulo 3 terá exemplos práticos com crash test dummies cujas bochechas serão previamente esfregadas com soda cáustica.

Assim, pessoas babadas na zona infra-ocular, unamo-nos. Oferendemos vouchers para participação no workshop supra, protejamos a nossa epiderme das pessoas de boca voraz e hiperativa. Abaixo os beijos nhenhosos na bochecha! Vivam os meros e delicados encostanços de face! Morte aos fascistas!!! (Pronto, vou ver se me acalmo)

10 comentários:

  1. Estou contigo! Falta de educação lambuzar a bochecha alheia! Também encosto, e para disfarçar, faço o barulho do ósculo e chega bem. Faço duas vezes! Para não deixar o outro pendurado que também acho falta de educação, vá... Agradeço que façam o mesmo! Mas não fazem... e beléc x 1000 UM NOJO!!! e tens razão, a badalhoquiçe está proporcional à idade! A coisa piora se formos ver na prespectiva das criançinhas. Tadinhas, pah!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdadinha, então quando me lambuzam os putos até fervo. O que vale é que eles não disfarçam e limpam logo com a manga :D

      Eliminar
  2. Também já me debati com o mesmo! Sou desses que só encosta a cara. Não obstante, há aquelas pessoas que não só espetam um beijo lambuzado, como o fazem com uma certa violência e isso sim, provoca contraturas no pescoço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Confere, a minha tia Ivone ia-me deixando entrevadinha num destes natais.

      Eliminar
  3. Eu encosto (ao de leve) e lanço chocho (mudo) para a atmosfera, assim de modo displicente, para não haver cúnfias. E reitero o blhéque: aquela malta que até inclina a cabeça para que o beijo sonoro e baboso assente bem no meio da bochecha, sem haver desperdício de lábios, devia ser alvo de uma qualquer sanção.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O chocho para a atmosfera (esqueci-me que era esse o termo técnico) é mesmo a melhor estratégia. E os dos "lábios-ventosa"?! Yéc.

      Eliminar
  4. Até fico arrepiada quando penso nisso! Lol
    Carla

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A mim eriçam-se-me os pelinhos do sovaco.

      Eliminar