quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

De pernas escancaradas

De volta aos grandes temas da atualidade, meus amigos, como é meu apanágio. Àqueles que nos fazem pôr a mão na consciência, refletir sobre a nossa própria existência e uma outra frase que também acabe em "ência". Este tema fala-me ao coração, porque possuo um camionista dentro de mim (e, já o disse, está alojado ao nível das ancas), que gostaria de sair de quando em vez na hora de coçar variadas comichões em público e sem pudor, de arrotar após beber uma Coca-Cola Zero de penalti (a quantidade de camionistas que bebe Coca-Cola Zero... upa, upa), e - mais importante e fraturante e elefante (aguentem, hoje estou virada para a métrica em rima) - de se sentar badalhocamente.

E em que consiste isso de nos sentarmos badalhocamente, perguntam vocês, já ansiosos ante a perspectiva de saberem o que é sentar-se badalhocamente para depois procederem ao ato de se sentarem badalhocamente daqui para a frente, minha gente intermitente?

É como todos os homens fazem, porra! Os sortudos! Mulheres, parem lá um bocado de limar as unhas e observem os homens à vossa volta. Acaso não estão eles sentados como se no lugar dos tintins tivessem duas comadres que não se falam há anos derivado de uma delas num Natal ter dito que o marido da outra era um bocado matarruano e vai daí a relação nunca mais foi a mesma, ainda que entretanto já tenham enviuvado as duas? Parece, pois parece? Tenho para mim que há mulheres que a parir abrem menos as pernas. Que precisem de refrigerar o tomatal, tudo bem. Agora, caramba, já vi espargatas mais fechadinhas.

Outro exercício: ponham uma mulher no mesmo sítio, na mesma posição. Pois, é uma porca ordinária e está badalhocamente sentada. 

NÃO


DIREITO

PONTO.

E é assim que eu, abaixo-assinada, indignada e peixe-espada, venho por este meio apresentar às mais altas instâncias a seguinte petição:

Juntas pelo direito de sentar badalhocamente
Juntas pelo direito de as pernas escancarar
A minha tia que mora no segundo frente 
As suas partes baixas também gostaria de arejar!

Quem está comigo? E me oferece um ombro amigo? E me limpa o cotão do umbigo?

Unidas venceremos. Agora vou ali deitar-me um pouco, que me está a parecer que comi maionese estragada. 

8 comentários:

  1. Apoiado! Este é um assunto que merecia ser referendado! Podes contar comigo, ofereço-te um ombro amigo, mas não te tiro o cotão do umbigo. ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então prepara-me um estrugido.

      Eliminar
    2. Preparo com todo o gosto e prazer. O que queres comer?

      Eliminar
    3. Grão com mão de vaca.

      Eliminar
  2. Não rima, mas vem por aí acima. Não prometo essa comidinha, mas podes sempre comer uma francesinha.

    ResponderEliminar
  3. Concordo! O meu marido está sempre a dizer que eu me sento mal. Que chato

    ResponderEliminar