segunda-feira, 10 de abril de 2017

Disney, je t'aime comócatano #2

Diversões, paradas, guloseimas, espetáculos, e com que Máinovo ficou deslumbrado? Com os torniquetes! (Faz lembrar o irmão, que quando era pequeno, no Badoca Park, ficou louco com as cancelas...) Piqueno parolo de sua Mãe ficava louco à passagem por aquelas jiga-jogas de metal, aparentemente tão sedutoras. Aliás, gritava com eles de cada vez que entrava ou saía: "TOMA, EMBRULHA, NINGUÉM SE METE COM O GUILHERMINO!" (O rapaz chama-se Guilherme, sendo que Guilhermino é o nome de guerra por ele inventado por parecer mais bad ass...) Passava sempre com semelhantes ganas assassinas que invariavelmente levava com o torniquete nas costas, e depois queria voltar para a desforra. 

Máinovo - como seria de esperar - foi quem de facto teve os comportamentos mais, digamos, estranhos, como fazer questão de afirmar a sua portugalidade de cada vez que ouvia falar estrangeiro cantando berrando o hino. Ou seja, praticamente de cinco em cinco minutos ouvia-se uma vozinha esganiçada "HERÓIS DO MAAAAAR...". Não foi fácil. Já Máivelho fez seu objetivo desta viagem enriquecer com os cêntimos que apanhava do chão. E eram muitos mesmo. Foi preciso proibi-lo de se atirar aos vários lagos, cheios de moedas.


Vista da Fantasyland, do topo do castelo da 
Rainha de Copas.

Sortudo do Máinovo, que tinha as cavalitas do Pai.
Eu bem tentei ser carregada, mas Senhor 
meu Marido armou-se em fracote.

A parada diária reúne todas as figuras emblemáticas da 
Disney e é um momento a não perder, embora tenhamos 
de ficar a guardar lugar 345 horas antes.


Foi o mais perto que me permitiram ver princesas, os homens 
maus e feios e porcos do meu agregado familiar.


Correr atrás de Máinovo pelo meio deste labirinto não foi
tarefa fácil, perdemo-lo umas 500 vezes, raça do puto.


A senhora está com ar de quem nos arrefinfa uma dentadona 
nas nalgas, assim como nós arrefinfaríamos naqueles doces todos.

O Parque Walt Disney Studios (ao lado do outro) é, de longe,
o melhor para diversões com adrenalina, que o digam
o meu homem e o Máivelho. 

Sem comentários:

Enviar um comentário