domingo, 25 de junho de 2017

Passadiços #1

Lá foram 12 marmanjos, os auto-denominados "Passadiços da Marmita", em dois carros, homens para um lado, mulheres para o outro, rumo a aventuras loucas. Ou então aventuras moderadamente calmas, que a média de idades era 40, apenas porque levávamos dois miúdos com uma idade que já não existe. Éramos para ser 13, mas houve um que se baldou logo à partida, com uma tendinite onde? No rabo. É assim, não havia desculpa melhor, quando se passa dos 40 já não há vergonha que nos atinja, e o rabo é um sítio como qualquer outro para se possuir maleitas. Para a história das frases imbecis fica a proferida por Senhor meu Marido para o homem da tendinite no cu, a saber "Onde é mesmo a tendinite, na nádega ou no isquio-tibial, meu querido?" 

E lá seguimos viagem, não sem antes, como é apanágio em viagens de pré-terceira idade, alguém se ter vangloriado: "Trouxe Voltaren!"

Primeira paragem: o restaurante Parlamento em Arouca, para enfardar a bela da
posta arouquesa. No meio da refeição, ouviu-se a frase "faz-se um estrugido com
a vagem", que pessoalmente não entendo, mas soa-me a rambóia da boa!
Sobrou tanto que nos deram os restos num saco
do Pingo Doce, para vergonha de alguns. Os mesmos que
provocaram os outros para pedirem para levar os restos.
Seguimos para o Arouca Geopark e subimos as 34785399 escadas
do radar meteorológico, numa vã tentativa de abater as sobremesas.
Houve quem tenha ido de elevador, grandes lontras sem vergonha.

Vista para a aldeia onde fomos visitar o Centro de Interpretação das
Pedras Parideiras, que, no fundo, são umas rochas que "dão à luz" outras pequenas,
num processo explicado aos poucos que se mantiveram acordados.
Havia por lá uma excursão de velhos que se portou mais condignamente.
Neste Centro, o mais interessante foi observar os velhos, de facto. Principalmente a
D. Fernanda, fofa senhora que "perdeu o seu patrão", o que, ainda assim,
não a impediu de se "manear" encosta acima a alta velocidade.

Vista para a Cascata da Frecha da Mizarela, a maior queda de água de Portugal Continental.

Boneca Maria de Deus, a estragar fotos de paisagens
idílicas desde 1976.
Senhor meu Marido, a encandear os autóctones
com seu violento bronze.

5 comentários:

  1. Foi, portanto, um belo passeio, muito bem humorado, em belo do convívio. E o vinho?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Diz quem bebeu que era bem supimpa! ;)

      Eliminar
  2. Tive que por os óculos de sol para ver o bronze "violento" do teu marido. :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deixa-me adivinhar: ficaste encandeada?

      Eliminar
    2. Completamente!
      Tenho a certeza que não sobrou sol para mais ninguém. :P

      Eliminar